Pular para o conteúdo principal

Pequeno Desabafo de uma professora

  Uma professora é envenenada por alunos do quarto ano. Na outra rede social, o veredito é claro: culpa de "décadas de Paulo Freire". Uma breve pesquisa na internet pouparia muitas pessoas de passar vergonha, mas estamos na era da ignorância orgulhosa. Se pesquisassem, veriam que a contribuição deste educador é mencionada até no site do MEC.  E que ao contrário do que muitos vêm pregando, o tal "método" não é aplicado nas escolas, não como pensam. Mas como já escrevi antes, estamos na era da ignorância orgulhosa. As pessoas não querem ler, não querem se aprofundar, para não destruir as suas convicções. Preferem se alimentar de meias-verdades a serem confrontadas. Isso é frustrante para nós, profissionais da Educação.

Nós, professores e professoras, temos nos esforçado muito nas últimas décadas, muitas vezes até assumindo responsabilidades que não deveriam ser nossas, porque nos importamos e queremos ver nossos alunos evoluírem. Mas há alguma força maior que nosso trabalho. Ensinamos Geografia e Ciências durante doze anos e vemos ex-alunos defendendo que a Terra é plana e que vacinas causam autismo. 

 Ensinamos sobre como os continentes são interdependentes e tem ex-aluno nosso dizendo que aquecimento global é mentira e que a Amazônia pode ser desmatada que não vai afetar em nada.

Ensinamos interpretação de texto e morreremos um pouco a cada dia vendo discussões na internet porque a pessoa não interpretou a manchete nem leu a notícia.
Ensinamos temas transversais e ética e vemos alunos e ex-alunos defendendo o " se está bom para mim os outros que se danem".
 
Isso cansa, sabe. Aí a gente reclama que não está fácil e tem de ouvir que reclamamos de barriga cheia, que temos 3 meses de férias e que somos parasitas (afinal,funcionários públicos).
Somos desautorizados o tempo inteiro e a resposta é que " a culpa é do Paulo Freire". Pelo amor de Deus, se você que está lendo for um dos meus ex-alunos, não me dê esse desgosto.
 

Comentários

  1. Mari, entendo perfeitamente teu desabado e tens toda razão. As coisas nesse país estão pra lá de Bagdá. Mimimis, fakes, agressões... Mas, ler de verdade, pensar antes de falar, isso nem pensar. Estão todos parece fixos nos ensinamentos do "mito" e seus comparsas... beijos, chica

    ResponderExcluir
  2. Tempos difíceis. A ignorância ostentada com orgulho e empáfia se alastra rapidamente e atinge principalmente aqueles que trabalham com Educação, Ciências, Cultura e Artes de modo geral. É preciso resistir a essa ignorância, essa estupidez generalizada. Mas o "espírito do tempo" da Idiocracy reacionária e conservadora está presente e temo pelo o que vem pela frente. Mas continuemos: desistir é pior.

    ResponderExcluir
  3. Boa noite de sábado, querida amiga Mari!
    " se está bom para mim os outros que se danem".
    Isto é terrivel!
    Uma bestialidade sem fim...
    Sai do magistério público quando a violência estava tomando rumo desenfreado...
    Mães de alunos começaram a querer bater em professores na saída da escola...
    Eu peguei uma cena no último ano em CIEP horrível, um caderno de arame passou raspando no meu rosto... De um aluno para outro colega...
    Uma vez um foi com um canivete... Era filho de presidiário.
    Enfim, quanto mais o tempo passa, pior a violência e mais 'inteligência' eles usam...
    Tenha a proteção divina em sua missão, querida!
    Bjm carinhoso e fraterno

    ResponderExcluir
  4. É muita ignorância, falta de interpretação de tudo, além da imensa falta de respeito com o próximo e com os valores repassados.
    Beijos carinhosos!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Devaneie você também!

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha: Marcelo, Marmelo, Martelo e outras histórias, de Ruth Rocha

O exemplar que tenho em casa, velhinho mas em bom estado Livro : Marcelo, Marmelo, Martelo e Outras Histórias Autora : Ruth Rocha Ilustrador : Adalberto Cornavaca Edição : 33ª Ano : 1976 Editora Salamandra Ruth Rocha é uma das minhas autoras preferidas, pela sua capacidade de criar histórias infantis que levam à reflexão e de tocar em temas dito espinhosos.  Já falei sobre este assunto em uma resenha de outro livro, O Que Os Olhos Não Vêem , aqui mesmo neste blog. Para quem não está associando o nome à pessoa, ela é autora também de O Reizinho Mandão , Dois idiotas sentados cada qual no seu barril , Sapo Vira Rei Vira Sapo,   entre outros. Neste livro, Ruth Rocha conta três histórias, protagonizadas por crianças que vivem no espaço urbano. São situações do cotidiano,que estas crianças resolvem a seu modo, aprendendo e crescendo com os desafios a elas impostos.    -------------------------------- E m Marcelo, Marmelo, Martelo, história que dá título

1 Imagem, 140 Caracteres #441

 Uma semana se passou e ainda há reflexos da Páscoa no ar...  Tudo bem aí com vocês? Espero que sim! Preparei a postagem mas a internet me passou a perna e agora que dei a volta nela (ahhaha) aqui estamos de novo!  Como já está tarde, arrumei o texto para ficar mais enxuto. Vamos para nossa imagem da semana? Imagem obtida no site Carta Capital Descrição: a imagem mostra um casal de idosos, de costas, caminhando sobre uma passarela de cimento em uma área arborizada . À esquerda vê-se parte de um banco. O homem veste uma camisa azul clara e calças jeans e está de mãos dadas com a mulher, que usa saia marrom e uma blusa de frio branca e meias brancas e longas.  Ambos tem cabelos brancos e curtos.  .................................................................................................. A praça mudou, a cidade ao redor também. Mas você continua aqui ao meu lado. Isso é o que importa no final das contas.  .............................................................................

1 Imagem, 140 Caracteres # 443

Boa noite!!! Passei a semana gripada, o que significa que olhar para uma tela de computador era bem complicado. Tanto que tenho até trabalho atrasado por conta disso. Mas enfim, vamos ao que interessa: a sexta-feira está quase acabando e ainda dá tempo para a nossa blogagem semanal acontecer!  Então, vamos lá? Imagem extraída do DepositPhotos Descrição: um menino branco, de costas.Ele cabelos curtos e loiros. Está usando uma camiseta azul, uma bermuda preta e calçando tênis. Ele está sentado em um ambiente escuro observando um grande  aquário com peixes ornamentais grandes, cor-de-rosa fraco. Me perdi da minha turma... Melhor esperar aqui. Enquanto isso, me acalmo com a sensação de estar no fundo do mar! Bom final de semana!