Pular para o conteúdo principal

Pequenas divagações quarentenísticas

1º de julho.

Segundo informações oficiais, centésimo dia de quarentena
Segundo todos nós sabemos, até agora não houve uma quarentena real, cumprida por todos e com as condições adequadas.
Mas sigamos.
Porque precisamos seguir, precisamos nos ocupar, precisamos acreditar em alguma coisa para não enlouquecer. 
Precisamos continuar acreditando que "depois da tempestade vem a bonança", mesmo que a tempestade pareça interminável.

Aliás, ontem aqui foi uma tempestade real, o chamado "ciclone bomba" pegou todo o estado onde moro e outros vizinhos, e pelo que li no Twitter agora há pouco ainda há lugares sofrendo com os fortes ventos. Foi um período agoniante, com ventos fortes, telhados voando, árvores caindo, construções sendo arrasadas e um blecaute na energia elétrica considerado o maior da história do estado até agora. Há lares por todo o estado ainda incomunicáveis e prejuízos sendo contabilizados. Aqui onde moro estamos bem, apenas alguns sustos mas seguimos, somando mais essa loucura à sucessão de episódios atípicos que tem acontecido neste 2020.

Enfim, estamos fazendo o que precisamos agora.. esperar. Esperar. Rezar, confiar e esperar. Torcer pelos nossos amigos, familiares, pessoas que amamos. Mesmo passando um pouco de raiva com a falta de bom senso de outras pessoas que colocam toda a comunidade em risco. Passamos raiva porque nos importamos.
Enquanto isso, vamos seguindo esta nova rotina, deixando na garagem ou fora da casa de vez roupas "de ir ao mercado", conferindo e re-conferindo lista de compras para não correr riscos desnecessários, usando telefone e internet para resolver coisas que antes se resolviam pessoalmente. Alguns trabalhando em casa, outros que infelizmente não tiveram essa opção saindo todos os dias com medo (bem, nem todo mundo, mas enfim).

Nos vemos novamente, se Deus quiser, na sexta-feira, para nossa blogagem semanal!


Comentários

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Boa noite de muita paz, querida amiga Mari!
    Estou fazendo crochê e recebi sua notificação, pelo título vim ver. Interessei-me logo.
    Sabe, querida, está sendo crucial, uma via-sacra para quem está fazendo integralmente, sem subterfúgios, sem finge que não vai e vai...
    Dolorido até o limite, o que me acalma é a oração e as notícias dos entubados por quem rezo o dia todo no canal católico me dizendo que tem muitos piores...
    Linha de frente precisando muito...
    O Bomba e um horror pelo que vi no jornal.
    O mundo está gritando socorro...
    Minha amiga, só Deus pode nos serenar, um cotidiano conturbado para muitos , pois tem pessoas sozinhas e dependente de um afago especial, mas imagino que só quem passa e que sabe a dor na alma que é. Tenho um caso na família e sinto a dor na minha alma.
    Fora que os displicentes não respeitam quase quatro meses de isolamento solidario que estamos fazendo com muitos sacrifícios em todos os níveis do nosso ser
    Deus nos cuide a todos pela fé, não nos falte a esperanca, a caridade não nos abandone.
    Tenha dias abençoados!
    Deus a proteja e aos seus.
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

    ResponderExcluir
  3. Marina, que coisa que está acontecendo mesmo! Aqui foi terrível, mas graças à Deus, parece que já passou. Essa noite não tivemos ventanias.. Ontem foi pavorosa a situação e tantos desabrigados, tantos transtornos, somados ao nervosismo da situação com esse danado vírus que parece não querer ir embora! Vamos confiar, esperar.Aqui desde 16 março só em casa...Aff...Mas, não podemos desanimar! beijos, chica

    ResponderExcluir
  4. O mau tempo é sempre mau e muito perigoso. Que passe sem causar muitos prejuízos materiais, e sem causar ferimentos ou mortes.
    .
    Tenha um dia de Paz e Bem
    Cumprimentos poéticos

    ResponderExcluir
  5. Aqui em Niterói tivemos ventos, mas não desta esfera como ocorreu aí. Vi pelos telejornais, muito triste tudo isto que vem aterrorizando as pessoas. Que tudo tome um melhor rumo é o que esperamos, bjs

    ResponderExcluir
  6. Muito triste este ciclone.
    Aqui no Rio ventou muito também.
    Ainda bem que passou.
    Um beijinho carinhoso para você
    Verena

    ResponderExcluir
  7. Realmente, a situação está difícil para todos nós, além do coronavírus, esse ciclone e tantas outras coisas que nos deixam angustiadas, mas, tenhamos fé em Deus e esperemos o tempo da bonança e que seja logo.
    Abraços fraternos!

    ResponderExcluir
  8. Mari, eu vi pela TV esse ciclone bomba,fiquei boba,sem acreditar no que estava vendo. E a nuvem de gafanhotos?Parece que o perigo já passou mas fiquei besta com essa também. Sem falar na pandemia,por aqui é a mesma coisa gente brigando pra abrir o comércio e nem a metade da população está isolada em casa.Infelizmente. Mas seguimos fazendo nossa parte.Beijos!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Devaneie você também!

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha: Marcelo, Marmelo, Martelo e outras histórias, de Ruth Rocha

O exemplar que tenho em casa, velhinho mas em bom estado Livro : Marcelo, Marmelo, Martelo e Outras Histórias Autora : Ruth Rocha Ilustrador : Adalberto Cornavaca Edição : 33ª Ano : 1976 Editora Salamandra Ruth Rocha é uma das minhas autoras preferidas, pela sua capacidade de criar histórias infantis que levam à reflexão e de tocar em temas dito espinhosos.  Já falei sobre este assunto em uma resenha de outro livro, O Que Os Olhos Não Vêem , aqui mesmo neste blog. Para quem não está associando o nome à pessoa, ela é autora também de O Reizinho Mandão , Dois idiotas sentados cada qual no seu barril , Sapo Vira Rei Vira Sapo,   entre outros. Neste livro, Ruth Rocha conta três histórias, protagonizadas por crianças que vivem no espaço urbano. São situações do cotidiano,que estas crianças resolvem a seu modo, aprendendo e crescendo com os desafios a elas impostos.    -------------------------------- E m Marcelo, Marmelo, Martelo, história que dá título

1 Imagem, 140 Caracteres #441

 Uma semana se passou e ainda há reflexos da Páscoa no ar...  Tudo bem aí com vocês? Espero que sim! Preparei a postagem mas a internet me passou a perna e agora que dei a volta nela (ahhaha) aqui estamos de novo!  Como já está tarde, arrumei o texto para ficar mais enxuto. Vamos para nossa imagem da semana? Imagem obtida no site Carta Capital Descrição: a imagem mostra um casal de idosos, de costas, caminhando sobre uma passarela de cimento em uma área arborizada . À esquerda vê-se parte de um banco. O homem veste uma camisa azul clara e calças jeans e está de mãos dadas com a mulher, que usa saia marrom e uma blusa de frio branca e meias brancas e longas.  Ambos tem cabelos brancos e curtos.  .................................................................................................. A praça mudou, a cidade ao redor também. Mas você continua aqui ao meu lado. Isso é o que importa no final das contas.  .............................................................................

1 Imagem, 140 Caracteres # 443

Boa noite!!! Passei a semana gripada, o que significa que olhar para uma tela de computador era bem complicado. Tanto que tenho até trabalho atrasado por conta disso. Mas enfim, vamos ao que interessa: a sexta-feira está quase acabando e ainda dá tempo para a nossa blogagem semanal acontecer!  Então, vamos lá? Imagem extraída do DepositPhotos Descrição: um menino branco, de costas.Ele cabelos curtos e loiros. Está usando uma camiseta azul, uma bermuda preta e calçando tênis. Ele está sentado em um ambiente escuro observando um grande  aquário com peixes ornamentais grandes, cor-de-rosa fraco. Me perdi da minha turma... Melhor esperar aqui. Enquanto isso, me acalmo com a sensação de estar no fundo do mar! Bom final de semana!