Pular para o conteúdo principal

Eu não estou bem... Mas tudo passa!

 Ninguém está bem. 

Ninguém pode dizer que dois anos de uma pandemia não afetaram em nada sua vida. 

Não posso fingir que está tudo bem depois de dois anos de medo, raiva e ansiedade que fizeram retornar uma compulsão alimentar e agora tenho de tentar reunir alguma força de vontade para meu corpo voltar ao que era. 

Não dá para dizer que tudo está bem quando a gente não sorri mais como antes, quando algo se quebrou por dentro e só agora estou começando a reunir os pedaços que se quebraram e tentando retomar algumas coisas que fazia antes de toda essa bagunça. 

Não sei se consigo colar todos os pedaços quebrados de meu coração, e nem sei se devo fazer isso: nossa vida é uma constante mudança e não tem como simplesmente resetar dois anos. 

Vi gente adoecer, gente morrer, gente que corre ao meu lado ficar tão ou mais quebrada do que eu...  

Tem horas que cansa até o ato de pegar a máscara, ajustar o elástico e sair para mais um dia de trabalho. Amo meu trabalho mas algo dentro de mim mudou até o olhar que eu tinha. 

Às vezes parece que estou fazendo a oração da manhã, preparando refeições, escolhendo roupa, arrumando o que é preciso para a semana funcionar, tudo no modo automático. Rolando páginas e páginas aqui na internet apenas para passar o tempo, curtindo e dando risadas de algumas publicações para distrair. 

Os anos passaram. E agora, depois de quatro décadas de vida, há coisas que não sei se ainda vou conseguir realizar, ou se é hora de simplesmente desistir e mudar os planos de vez. 

Essa semana foi uma destas. Um belo dia parei de fugir e encarei o fato de que preciso rever o que quero para a vida. Que preciso pensar além da rotina diária para não lamentar o futuro depois. Que não dá mais para ficar no piloto automático. 

E foi por isso que não teve postagem na sexta-feira. Passei boa parte da semana apenas fazendo o que tinha de fazer, porque tinha de ser feito por mim. E não tinha ânimo para escrever, criar ou fazer qualquer coisa além do meu trabalho. Só queria chegar em casa e dormir, ficar vendo vídeos aleatórios, qualquer coisa para distrair a mente. Abrir o blog não me ajudava. Via a tela em branco e nada de surgir uma ideia, um texto, alguma coisa útil para escrever. 

E não queria passar isso para vocês, que sempre frequentam o blog e interagem de forma tão carinhosa nas postagens. Então simplesmente fiquei fora da internet o final de semana todo. Abri meus e-mails apenas ontem à noite e agora estou aqui, escrevendo. 

Não vou largar o blog. Não vou desistir de escrever. Mas precisava de um tempo para reorganizar as ideias. Apenas isso. 

Agradeço a compreensão de todos e vamos lá, uma hora empurrando as coisas para frente, outra hora sendo puxada ( rsrsrs), outras horas pegando no tranco, mas vamos. 

Até mais! 

Comentários

  1. A Pandemia fez crescer algumas famílias ( nascimento de bebés ), mas também destruiu muitas outras. Parecia estar tudo bem mas, depois juntos no dia a dia, algo entre marido/mulher, mostrou ( tem mostrado ) não ser bem assim. A verdade é que, mais ligeira na forma do confinamento, a Pandemia continua aí bem ativa.
    Agora temos a maldita guerra entre a Rússia e a Ucrânia. A vida não está fácil.
    .
    Saudações cordiais
    .
    Pensamentos e Devaneios Poéticos
    .

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde de paz, querida amiga Mari!
    Não sabe como fico feliz quando encontro alguém que não finge estar bem para parecer que não se afetou com a Pandemia. Mesmo os especialistas tendo dito já que 98% da população está passando por ansiedade e depressão . É o mal do século.
    Apesar de que sei que está sofrendo , teve a coragem de ser transparente.
    Sim, evitamos falar nossa verdade pois o mundo não está aí para nossas dores da alma, tapinhas nas costas e não incomodar é o lema de uma grande maioria real e até mesmo virtual.
    Deus está a seu lado e vai ultrapassa mais uma fase, amiga
    Ele não nos abandona nas horas difíceis.
    Jamais!
    Vamos esperar você reorganizar ideias, pode crer.
    Fique com Deus e estamos aqui, afinal, não foi fácil conciliar trabalho, casa e BC durante tantos anos e semanalmente.
    Bem sabemos o trabalho que dá tudo junto e misturado para quem não é aposentada ainda
    Obrigada por te vindo.
    Você merece nosso apoio.
    Seja feliz e abençoada!
    Beijinhos com carinho de gratidão e estima

    ResponderExcluir
  3. Mari, estava preocupada contigo pois acostumamos a te encontrar às 6ªs feiras há tantos e tantos anos, sempre com prazer!
    Mas, ninguém é de ferro e saímos( mais ou menos) dessa pandemia e veio a guerra que nos deixou tristes, abateu e é preciso muito ânimo pra nos erguer e ter forçar pra adiante ir. E forra tudo que há para ser feito, resolvido ,que nunca é pouca coisa! Tu ainda nas escolas... Assim, daqui desejo que fiques bem, sem pressa de voltar para não te prejudicar. Chega uma hora na vida que tempos que obedecer nosso corpo.Ele passa o tempo todo pedindo e não o ouvimos. Daí ele grita,ts...

    beijos, tudo de bom que bom vieste nos acalmar! Ótima semana! chica

    ResponderExcluir
  4. Olá Marina, posso entender muito bem o que se passa.
    Uma pandemia deixa suas marcas por mais insensível,
    que possa alguém ser. Afeta e nos afetou terrivelmente.
    Perdi pessoas de família, e amigos de coração mesmo.
    Mudou minha vida, afastei da família toda distante e sofri.
    Mas devo lhe dizer e ou repetir as palavras de Guimarães Rosa:
    *O correr da vida embrulha tudo.
    A vida é assim: esquenta e esfria,
    aperta e daí afrouxa,
    sossega e depois desinquieta.
    O que ela quer da gente é coragem.*
    Então minha amiga, chore suas dores, mas levanta e vai a luta, com força e coragem, pois há uma vida a sua espera.
    Meu carinhoso abraço. Tenha a pausa que jugar necessário, mas nada de entregar o jogo.
    Grato pela atenção.

    ResponderExcluir
  5. Boa noite Mari,
    Tinha sentido sua falta e tal como agora vim ver se tinha postado alguma coisa.
    Entendo do que fala e também eu me ressenti muito com a pandemia. Também minha ansiedade se tem manifestado.
    Procure sempre que puder relaxar, repousar e logo logo ficarará bem.
    Não se preocupe agora com o blogue. Volte quando achar que deve voltar.
    Tenha fé em Deus. "Tudo posso n'Aquele que me fortalece"! Ele cuida de nós.
    Um beijinho,amiga, e muita coragem.
    Ailime

    ResponderExcluir
  6. Oi, minha amiga!

    É a primeira vez que venho ao seu blog e li textos que me agradaram.
    Quanto à Pandemia, toda a gente sofreu com ela, uns mais, outros, menos, mas o mundo mudou, sim.
    Eu não tive Covid 19, fui vacinada três vezes, mas a vida não é mais igual, não.
    Sou Portuguesa, e espero a cada momento haver condições para retirarmos a máscara em recintos fechados. Não tenho pressa, mas estou farta dela.
    Entendo seus desabafos, e lamento quem não cumpre ou cumpriu as regras.

    Abraços e muita esperança em dias melhores.

    ResponderExcluir
  7. Espero que você se recupere rapidamente, Mari.
    Está pandemia, também, muito me abalou. Descanse e Cuide-se bem.
    Um beijinho carinhoso
    Verena

    ResponderExcluir
  8. Estou na torcida para que tudo fique bem com você! A pandemia mudou o modo de vida de todos nós, nos abalou e fez com que parássemos para repensar vida e atitudes.
    Abraços fraternos!

    ResponderExcluir
  9. Bom dia de sexta, querida amiga Mari!
    Há anos acordada e vinha logo procurar os 140 caracteres...
    Sua falta se faz sentir, embora seu afastamento seja indispensável no momento, bem sei.
    O motivo de ter vindo hoje foi só deixar meu carinho fraterno e desejar que esteja bem aí, resolvendo suas dificuldades momentâneas.
    Deus é conosco, ai de nós se não fosse Ele!
    Tenha dias abençoados com paz, saúde e Amor!
    Beijinhos com carinho de gratidão e estima

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Não há como passar ileso da pandemia. Respeitar seu limite, olhar para si própria e perceber seus sentimentos já é uma forma de levantar. Cada um encontra sua forma de
    lidar com as intempéries da vida.
    Estamos tendo que nos recompor para seguir adiante com de tantas tristezas que estão no entorno.
    Volte quando considerar o momento, sempre será bem-vinda. Encontre sua paz interior e a luz interna voltará a brilhar.
    "Mãos unidas são preces, somos também parte deste elo,
    Sentiremos para ausência e sou grata por expor o que está acontecendo.
    As vezes, precisa-se pedir ajuda, não se negue isto.
    Mãos unidas são preces, somos também parte deste elo.
    Bjs.
    Norma

    ResponderExcluir
  12. Boa noite de paz, querida amiga Mari!
    Como está? Um pouco melhor?
    Estamos numa Semana forte de Espiritualidade.
    Que Deus lhe dê forças necessárias para perseverar na vida com ânimo!
    Estou para você, se precisar
    Tenha uma Semana é!
    Saúde, paz e Amor
    Beijinhos carinhosos e fraternos

    ResponderExcluir
  13. Muito obrigada pelo carinho de vocês!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Devaneie você também!

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha: Marcelo, Marmelo, Martelo e outras histórias, de Ruth Rocha

O exemplar que tenho em casa, velhinho mas em bom estado Livro : Marcelo, Marmelo, Martelo e Outras Histórias Autora : Ruth Rocha Ilustrador : Adalberto Cornavaca Edição : 33ª Ano : 1976 Editora Salamandra Ruth Rocha é uma das minhas autoras preferidas, pela sua capacidade de criar histórias infantis que levam à reflexão e de tocar em temas dito espinhosos.  Já falei sobre este assunto em uma resenha de outro livro, O Que Os Olhos Não Vêem , aqui mesmo neste blog. Para quem não está associando o nome à pessoa, ela é autora também de O Reizinho Mandão , Dois idiotas sentados cada qual no seu barril , Sapo Vira Rei Vira Sapo,   entre outros. Neste livro, Ruth Rocha conta três histórias, protagonizadas por crianças que vivem no espaço urbano. São situações do cotidiano,que estas crianças resolvem a seu modo, aprendendo e crescendo com os desafios a elas impostos.    -------------------------------- E m Marcelo, Marmelo, Martelo, história que dá título

1 Imagem, 140 Caracteres #441

 Uma semana se passou e ainda há reflexos da Páscoa no ar...  Tudo bem aí com vocês? Espero que sim! Preparei a postagem mas a internet me passou a perna e agora que dei a volta nela (ahhaha) aqui estamos de novo!  Como já está tarde, arrumei o texto para ficar mais enxuto. Vamos para nossa imagem da semana? Imagem obtida no site Carta Capital Descrição: a imagem mostra um casal de idosos, de costas, caminhando sobre uma passarela de cimento em uma área arborizada . À esquerda vê-se parte de um banco. O homem veste uma camisa azul clara e calças jeans e está de mãos dadas com a mulher, que usa saia marrom e uma blusa de frio branca e meias brancas e longas.  Ambos tem cabelos brancos e curtos.  .................................................................................................. A praça mudou, a cidade ao redor também. Mas você continua aqui ao meu lado. Isso é o que importa no final das contas.  .............................................................................

1 Imagem, 140 Caracteres # 443

Boa noite!!! Passei a semana gripada, o que significa que olhar para uma tela de computador era bem complicado. Tanto que tenho até trabalho atrasado por conta disso. Mas enfim, vamos ao que interessa: a sexta-feira está quase acabando e ainda dá tempo para a nossa blogagem semanal acontecer!  Então, vamos lá? Imagem extraída do DepositPhotos Descrição: um menino branco, de costas.Ele cabelos curtos e loiros. Está usando uma camiseta azul, uma bermuda preta e calçando tênis. Ele está sentado em um ambiente escuro observando um grande  aquário com peixes ornamentais grandes, cor-de-rosa fraco. Me perdi da minha turma... Melhor esperar aqui. Enquanto isso, me acalmo com a sensação de estar no fundo do mar! Bom final de semana!