Pular para o conteúdo principal

1 Imagem, 140 Caracteres #402

 Bom dia! 

Espero que vocês que chegaram até aqui e estão lendo esse texto, estejam bem! 

Em tempos como estes, em que muita gente pensa que estar do outro lado de uma tela dá a sensação de impunidade que leva a insultar e magoar, precisamos pensar no poder de nossas palavras, escritas ou faladas. Ao contrário do que muitos pensam, não é preciso uma agressão ser física para termos um crime acontecendo. 

As redes sociais nos trouxeram algo maravilhoso, que é encontrar amigos e fazer novas amizades não importa a distância. Mas como o ser humano não é perfeito, o contrário também ocorre: divisões por conta de pontos de vista que ao invés de proporcionar um debate, fazem com que as pessoas radicalizem algumas ideias a ponto de querer eliminar quem vive de outro jeito. Vemos isso acontecendo tanto com religiões, com ideais políticos, identificação de gênero, entre tantos outras prerrogativas que cotidianamente pessoas do mundo todo usam para justificar um ódio de quem vive diferente. 

Mas, as mãos que apontam e os dedos que acusam também encontram eco! 

Pensando nisso, a imagem abaixo veio me encontrar enquanto fazia uma pesquisa pela internet, e até agora não sei se o texto causou a busca pela imagem, ou se foi a imagem que inspirou estes parágrafos acima. 

Deixo aqui a imagem e minha interpretação: 


Foto obtida no site de imagens gratuitas Dreams Time

Descrição: a imagem mostra parte do antebraço e duas mãos, de duas pessoas brancas, apontando uma para a outra com o dedo indicador e o polegar levantado. Uma das pessoas usa uma camisa azul, outra uma camisa cinza, ambas sociais. 


Uma vez ouvi dizer: "ao apontar um dedo para alguém, três se voltam contra ti". 

Muita gente esqueceu disso, aparentemente.

 

Tenham um bom final de semana! 


(Ah,e  como não poderia deixar de ser, pensei em outra frase para a cena acima: "Nunca se é adulto demais para brincar de arminha!" kkkkkk)

Até mais! 

 

 

 

Comentários

  1. Mari, adorei e foi muito bem lembrada o fato que ouviste( e todos nós também!)
    Lembrar disso é importante!
    Gostei da lembrança da arminha...Mas em quem pensei, nem pra brincar dá! Aff... beijos, lindo fds! chica

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Muita gente pensa que estar do outro lado de uma tela dá a sensação de impunidade que leva a insultar e magoar, precisamos pensar no poder de nossas palavras,

      Boa tarde de julho, querida amiga Mari!
      As denúncias podem ser apuradas... Até o id do computador pode se descobrir. Há peritos para tal.
      Achamos que, por estarmos escondidos atrás da tela, estamos ilesos.
      Um dia a casa cai. Toda verdade vem à tona.
      Deus é Justo e, mesmo não parecendo, a justiça tarda, mas não falha. Eu creio.
      Uma excelente imagem para todos os dias e, sobretudo, para os atuais.
      O que falou sobre um dedo ao outro e quatro para nós, eu compactuo piamente. Bem assim. Quanto mais acusamos, mais podridão há em nós. Jesus diria sem medo: sepulcros caiados. .. Raça de víboras ...
      Gostei muito, ainda creio num mundo irmão.
      Deus é Misericordioso.
      Tenha um novo mês abençoado!
      Beijinhos carinhosos e fraternos de paz e bem

      Excluir
  3. Uma ótima imagem com uma leitura bem atual, mas o bom que podemos sempre irradiar muitas vertentes. Bom final de semana

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde Mari,
    Bem verdade. Há bastantes anos também ouvi essa frase dita por um padre da minha paróquia numa homilia.
    Excelente participação e imagem.
    Beijinhos um bom fim de semana.
    Ailime

    ResponderExcluir
  5. Sensacional a imagem de hoje e a sua leitura, Mari
    Adorei!
    Lindo fim de semana.
    Beijinhos
    Verena.

    ResponderExcluir
  6. Uma imagem interessante com este teu olhar numa máxima.
    Perfeita sua inspiração no pensamento da cautela.
    Um bom sábado feliz Marina.
    Meu abraço

    ResponderExcluir
  7. Preciso demais. De repente todos tornaram-se inimigos, qualquer pensamento diferente é motivo para agressões (físicas, verbais e com consequências emocionais)
    Abraços!

    ResponderExcluir
  8. Bela imagem e a sua leitura, perfeita!
    Abraços fraternos!

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Voltei! Eu pretendia participar da blogagem, mas me perdi nas datas. Então deixo aqui meu comentário sobre a imagem:
    Parabéns pela escolha da imagem. Uma escolha oportuna e adequada. Vivemos tempos terríveis, de dedos em riste, de mimimis e acusações descabidas. E essa imagem já andou se prestando a inúmeras discussões em outras mídias. Até nas descrições da imagem para os cegos, vi preconceitos latentes. É certo que hoje em dia ninguém mais consegue esconder-se atrás da tela, mas também é certo que poucos se importam em modificar paradigmas em favor de uma paz que diz almejar.
    Bjs
    Marli

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Devaneie você também!

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha: Marcelo, Marmelo, Martelo e outras histórias, de Ruth Rocha

O exemplar que tenho em casa, velhinho mas em bom estado Livro : Marcelo, Marmelo, Martelo e Outras Histórias Autora : Ruth Rocha Ilustrador : Adalberto Cornavaca Edição : 33ª Ano : 1976 Editora Salamandra Ruth Rocha é uma das minhas autoras preferidas, pela sua capacidade de criar histórias infantis que levam à reflexão e de tocar em temas dito espinhosos.  Já falei sobre este assunto em uma resenha de outro livro, O Que Os Olhos Não Vêem , aqui mesmo neste blog. Para quem não está associando o nome à pessoa, ela é autora também de O Reizinho Mandão , Dois idiotas sentados cada qual no seu barril , Sapo Vira Rei Vira Sapo,   entre outros. Neste livro, Ruth Rocha conta três histórias, protagonizadas por crianças que vivem no espaço urbano. São situações do cotidiano,que estas crianças resolvem a seu modo, aprendendo e crescendo com os desafios a elas impostos.    -------------------------------- E m Marcelo, Marmelo, Martelo, história que dá título

1 Imagem, 140 Caracteres #441

 Uma semana se passou e ainda há reflexos da Páscoa no ar...  Tudo bem aí com vocês? Espero que sim! Preparei a postagem mas a internet me passou a perna e agora que dei a volta nela (ahhaha) aqui estamos de novo!  Como já está tarde, arrumei o texto para ficar mais enxuto. Vamos para nossa imagem da semana? Imagem obtida no site Carta Capital Descrição: a imagem mostra um casal de idosos, de costas, caminhando sobre uma passarela de cimento em uma área arborizada . À esquerda vê-se parte de um banco. O homem veste uma camisa azul clara e calças jeans e está de mãos dadas com a mulher, que usa saia marrom e uma blusa de frio branca e meias brancas e longas.  Ambos tem cabelos brancos e curtos.  .................................................................................................. A praça mudou, a cidade ao redor também. Mas você continua aqui ao meu lado. Isso é o que importa no final das contas.  .............................................................................

1 Imagem, 140 Caracteres # 443

Boa noite!!! Passei a semana gripada, o que significa que olhar para uma tela de computador era bem complicado. Tanto que tenho até trabalho atrasado por conta disso. Mas enfim, vamos ao que interessa: a sexta-feira está quase acabando e ainda dá tempo para a nossa blogagem semanal acontecer!  Então, vamos lá? Imagem extraída do DepositPhotos Descrição: um menino branco, de costas.Ele cabelos curtos e loiros. Está usando uma camiseta azul, uma bermuda preta e calçando tênis. Ele está sentado em um ambiente escuro observando um grande  aquário com peixes ornamentais grandes, cor-de-rosa fraco. Me perdi da minha turma... Melhor esperar aqui. Enquanto isso, me acalmo com a sensação de estar no fundo do mar! Bom final de semana!