Pular para o conteúdo principal

Numb

Gosto da palavra "numb" em inglês, para "indiferente" ou "entorpecido" Sei lá, talvez porque ela me lembre "névoa", e quando se está tão entorpecido com algo , é como se houvesse uma névoa embotando a visão, uma indiferença tal, um sentimento de "nenhum sofrimento me comove" (pittyfeelings) que te deixa sem saber para onde ir, se apesar da indiferença separando tal qual uma névoa do mundo que ainda se importa o suficiente para sentir, talvez valha a pena se deixar agarrar por alguma mão estendida e voltar a mergulhar no mundo. 

Enfim, esta introdução cheia de floreios é só para deixar uma música que eu gostava muito no início dos anos 2000. Sei lá, mesmo gostando de coisas alegres, havia algo de amargo, intimista, de enfrentamento - se é que dá para usar esta palavra - que a banda compunha na época, que me levava a pensar em como o compositor retratava tão bem  pessoas perturbadas psicologicamente em suas letras. De certa forma, isso me fazia gostar da banda 

Ao ler a letra pela primeira vez, pensei em uma pessoa subjugada por outra, sem necessariamente um vínculo familiar ou afetivo. No vídeo, aparece uma moça às vezes isolada/indiferente aos colegas, às vezes com o mesmo comportamento em relação à outra pessoa que se presume ser sua mãe ou responsável legal. 

Alguém pode se tornar indiferente, entorpecido, pela convivência desagradável com colegas de escola (bullyng incluso), ou por excessivas cobranças no lar. 
Enfim, só o compositor  sabe mesmo do que estava falando. E a graça das músicas é esta, pode haver muitas interpretações. 

Abaixo, o vídeo e a tradução:







Indiferente 


Estou cansado de ser o que você quer que eu seja
Me sentindo tão sem fé, perdido sob a superfície
Não sei o que você está esperando de mim
Colocado sob pressão
De andar com seus sapatos
(Pego na correnteza, só pego na correnteza)
Cada passo que eu dou é mais um erro para você
(Pego na correnteza, só pego na correnteza)

Refrão

Eu me tornei tão indiferente
Não posso sentir você aí
Me tornei tão cansado
Muito mais consciente
Estou me tornando isto
Tudo o que eu quero fazer
É ser mais como eu sou
E menos como você é

Você não pode ver que está me sufocando?
Me segurando tão apertado
Com medo de perder o controle
Pois tudo o que você pensou que eu pudesse ser
Caiu por terra bem na sua frente
(Pego na correnteza, só pego na correnteza)
Cada passo que eu dou é mais um erro para você
(Pego na correnteza, só pego na correnteza)
E cada segundo que eu desperdiço é mais do que eu posso ter

(Refrão)


E eu sei
Que eu posso terminar fracassando também
Mas eu sei que
Você era exatamente como eu
Com alguém desapontado com você

(Refrão)

Eu me tornei tão indiferente, não posso sentir você aí
(Estou cansado de ser o que você quer que eu seja)
Eu me tornei tão indiferente, não posso sentir você aí
(Estou cansado de ser o que você quer que eu seja)

Comentários

  1. Não lembrava dessa música e gostei de ver a letra! bjs, ótimo dia! Até AMANHÃ, NO 140!! CHICA

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Devaneie você também!

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha: Marcelo, Marmelo, Martelo e outras histórias, de Ruth Rocha

O exemplar que tenho em casa, velhinho mas em bom estado Livro : Marcelo, Marmelo, Martelo e Outras Histórias Autora : Ruth Rocha Ilustrador : Adalberto Cornavaca Edição : 33ª Ano : 1976 Editora Salamandra Ruth Rocha é uma das minhas autoras preferidas, pela sua capacidade de criar histórias infantis que levam à reflexão e de tocar em temas dito espinhosos.  Já falei sobre este assunto em uma resenha de outro livro, O Que Os Olhos Não Vêem , aqui mesmo neste blog. Para quem não está associando o nome à pessoa, ela é autora também de O Reizinho Mandão , Dois idiotas sentados cada qual no seu barril , Sapo Vira Rei Vira Sapo,   entre outros. Neste livro, Ruth Rocha conta três histórias, protagonizadas por crianças que vivem no espaço urbano. São situações do cotidiano,que estas crianças resolvem a seu modo, aprendendo e crescendo com os desafios a elas impostos.    -------------------------------- E m Marcelo, Marmelo, Martelo, história que dá título

1 Imagem, 140 Caracteres #441

 Uma semana se passou e ainda há reflexos da Páscoa no ar...  Tudo bem aí com vocês? Espero que sim! Preparei a postagem mas a internet me passou a perna e agora que dei a volta nela (ahhaha) aqui estamos de novo!  Como já está tarde, arrumei o texto para ficar mais enxuto. Vamos para nossa imagem da semana? Imagem obtida no site Carta Capital Descrição: a imagem mostra um casal de idosos, de costas, caminhando sobre uma passarela de cimento em uma área arborizada . À esquerda vê-se parte de um banco. O homem veste uma camisa azul clara e calças jeans e está de mãos dadas com a mulher, que usa saia marrom e uma blusa de frio branca e meias brancas e longas.  Ambos tem cabelos brancos e curtos.  .................................................................................................. A praça mudou, a cidade ao redor também. Mas você continua aqui ao meu lado. Isso é o que importa no final das contas.  .............................................................................

1 Imagem, 140 Caracteres # 443

Boa noite!!! Passei a semana gripada, o que significa que olhar para uma tela de computador era bem complicado. Tanto que tenho até trabalho atrasado por conta disso. Mas enfim, vamos ao que interessa: a sexta-feira está quase acabando e ainda dá tempo para a nossa blogagem semanal acontecer!  Então, vamos lá? Imagem extraída do DepositPhotos Descrição: um menino branco, de costas.Ele cabelos curtos e loiros. Está usando uma camiseta azul, uma bermuda preta e calçando tênis. Ele está sentado em um ambiente escuro observando um grande  aquário com peixes ornamentais grandes, cor-de-rosa fraco. Me perdi da minha turma... Melhor esperar aqui. Enquanto isso, me acalmo com a sensação de estar no fundo do mar! Bom final de semana!