Pular para o conteúdo principal

Dia das crianças


 Sempre lembro da minha infância quando chega este dia. (não, não esqueço os alunos, mas é que bate uma nostalgia às vezes)
 As imagens a seguir são as que vem à cabeça quando lembro de minha infância.

Quem é da minha época vai entender o porquê.


Meus pais tem uma assim até hoje, eu adorava ver o capim entrar inteirinho e sair em pedaços do outro lado.. sem falar que eu catava os pedaços de cana e chupava, ahauhaua.
Hum.. correr pelos pastos e roças, catando frutinhas de toda sorte! Essas aí do lado
 são muito boas!













Goiabas... ah, a goiabeira era boa não apenas por causa das goiabas, mas também para criar mil e uma brincadeiras com os amigos,, balançar-se, amarrar cordas,esconder-se das vacas e o que mais a imaginação mandasse.





Outra frutinha ótima,além é claro do fato da árvore aguentar nosso peso.
Meus avós tinham uma dessas: um debulhador manual de milho! Era muito divertido utilizá-lo.
Eu vivia subindo em árvores!





















Minha avó materna plantava morangos. E era uma festa para nós, os netos, toda vez que íamos lá!

Ainda tenho essa boneca!
 Mas a caminha, coitada, já era.











 Minha primeira bicicleta era assim. Levei muuitos tombos até aprender a pedalar sem perder o equilíbrio, e o fato de ser baixinha também não ajudava muito, kkkk.


As espigas de milho eram outra coisa que estimulava a minha imaginação, eu vivia criando "penteados" para os "cabelos" do milho.


Esses objetos aqui eram muito interessantes juntos. Mas a máquina ao lado era bem mais atrativa quando a utililzávamos para fazer biscoitos de araruta. Escolhíamos a forma para os biscoitos, acoplávamos na máquina e ficávamos olhando a massa sair do outro lado. Era fascinante! ( também aproveitávamos e pegávamos a massa crua para brincar de modelar nossos próprios biscoitos e vê-los assados depois)



A velha brincadeira do telefone sem fio, que sempre rendeu e vai render muitas risadas!

Ah, e a imbatível brincadeira de esconde-esconde! Eterna!!!










Nossa, usei muito dessas fichas no final da infância!






Até mais, povo!!! 

Comentários

  1. Adorei essas imagens e todas elas nos falam de um pouco das nossas infâncias, ou vividas, ou sonhadas! um beijo,chica e ainda bem que arrumaste!!!

    ResponderExcluir
  2. Como é bom as recordações da infância serem doces.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Eu não tive uma infância como a sua, mas se tivesse, adoraria fazer penteados no cabelo desse milho. Parece até uma peruca! kkkk essas fichas que vc mostrou lembram as fichas do fliperama. Joguei poucas vezes, mas tb usei essas fichas pro street fither kkk beijos!
    PS: Não sei como vc chupava a cana kkk eu acho mt doce.

    ResponderExcluir
  4. Desculpem, as fotos não estão correspondendo a algumas frases. Já tentei algumas vezes arrumar esta postagem, mas não estou conseguindo rearranjar os elementos.. enfim.
    Até..

    ResponderExcluir
  5. Ola Mari, tudo bem? Lembro-me de que quando criança, meu pai sempre falava que íamos morar no sítio.. Já ouvi falar de algumas coisas que tem ai no post, mas nunca cheguei brincar com elas... Minha primeira bicicleta tive quando já grande, não tínhamos condições de comprar uma... Muito bom seu post... OBS: Ri quando li que você fazia penteados em milhos Hahaha!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Devaneie você também!

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha: Marcelo, Marmelo, Martelo e outras histórias, de Ruth Rocha

O exemplar que tenho em casa, velhinho mas em bom estado Livro : Marcelo, Marmelo, Martelo e Outras Histórias Autora : Ruth Rocha Ilustrador : Adalberto Cornavaca Edição : 33ª Ano : 1976 Editora Salamandra Ruth Rocha é uma das minhas autoras preferidas, pela sua capacidade de criar histórias infantis que levam à reflexão e de tocar em temas dito espinhosos.  Já falei sobre este assunto em uma resenha de outro livro, O Que Os Olhos Não Vêem , aqui mesmo neste blog. Para quem não está associando o nome à pessoa, ela é autora também de O Reizinho Mandão , Dois idiotas sentados cada qual no seu barril , Sapo Vira Rei Vira Sapo,   entre outros. Neste livro, Ruth Rocha conta três histórias, protagonizadas por crianças que vivem no espaço urbano. São situações do cotidiano,que estas crianças resolvem a seu modo, aprendendo e crescendo com os desafios a elas impostos.    -------------------------------- E m Marcelo, Marmelo, Martelo, história que dá título

1 Imagem, 140 Caracteres #441

 Uma semana se passou e ainda há reflexos da Páscoa no ar...  Tudo bem aí com vocês? Espero que sim! Preparei a postagem mas a internet me passou a perna e agora que dei a volta nela (ahhaha) aqui estamos de novo!  Como já está tarde, arrumei o texto para ficar mais enxuto. Vamos para nossa imagem da semana? Imagem obtida no site Carta Capital Descrição: a imagem mostra um casal de idosos, de costas, caminhando sobre uma passarela de cimento em uma área arborizada . À esquerda vê-se parte de um banco. O homem veste uma camisa azul clara e calças jeans e está de mãos dadas com a mulher, que usa saia marrom e uma blusa de frio branca e meias brancas e longas.  Ambos tem cabelos brancos e curtos.  .................................................................................................. A praça mudou, a cidade ao redor também. Mas você continua aqui ao meu lado. Isso é o que importa no final das contas.  .............................................................................

1 Imagem, 140 Caracteres # 443

Boa noite!!! Passei a semana gripada, o que significa que olhar para uma tela de computador era bem complicado. Tanto que tenho até trabalho atrasado por conta disso. Mas enfim, vamos ao que interessa: a sexta-feira está quase acabando e ainda dá tempo para a nossa blogagem semanal acontecer!  Então, vamos lá? Imagem extraída do DepositPhotos Descrição: um menino branco, de costas.Ele cabelos curtos e loiros. Está usando uma camiseta azul, uma bermuda preta e calçando tênis. Ele está sentado em um ambiente escuro observando um grande  aquário com peixes ornamentais grandes, cor-de-rosa fraco. Me perdi da minha turma... Melhor esperar aqui. Enquanto isso, me acalmo com a sensação de estar no fundo do mar! Bom final de semana!