Pesquisar este blog

29 de mar. de 2016

Obrigada...de nada...

Tem horas em que encuco com uma palavra (não, encucar não quer dizer colocar cucas..hum..cuca.. agora deu fome.. Marina, volta ao que estava escrevendo, não devaneia demais! O teu blog tem "Devaneios" no nome, mas não viaja tanto assim, caramba!). 

Enfim, voltando ao assunto, tem horas em que invoco com uma palavra, aí puxa outra, e outra, e a repetição das palavras as deixa sem sentido, desnudas de significado, expostas em seu vazio sem as atribuições que nós, seus criadores, demos a elas. 

Hoje saí do trabalho para a hora do almoço e enquanto ouvia duas pessoas atrás de mim trocando as palavrinhas mágicas "obrigada", "de nada", me pus a pensar: Por que a gente não diz que está "agradecida", como muitas pessoas falam? Sei lá, "obrigado" e "obrigada" pode querer dizer que a pessoa fez algo por obrigação. A pessoa fez um favor para mim e eu estou dizendo que eu fui obrigada a algo? Ah, deixa pra lá. 

- Olha, encontrei este casaco, é seu? 
- Opa, muito obrigada! 
- Mas ninguém me obrigou, ajuntei porque eu quis. 
- ?????? 





Se eu responder assim, ou pensam que eu tenho um senso de humor regular, ou que eu pirei na batatinha. 

Aliás, por que tem gente que fala "pirar na batatinha"? Acho que vou tentar descobrir de onde veio essa expressão. 

Ah, e o "de nada", é alguma expressão de modéstia? Tipo, "cara, muito obrigada".."ah, que é isso, não é pra tanto, isto fica feliz em ser útil" (#homembicentenáriofeelings). 

Tem tanta palavra que deixa pensando! 

Por que falecer é morrer e desfalecer é desmaiar? Uma palavra não deveria ser o oposto da outra? 

Acordar, é entrar em acordo e também despertar depois do sono. Por que duas coisas tão diferentes são escritas do mesmo jeito? Meu corpo entra em acordo com o sono e decide que é hora de levantar? Então algo está errado, pois o sono nem sempre me deixa quando levanto.Problemas de sincronização corporal? Mas acordar, pode ser a cor dar? Dar cor? É preciso acordar para dar cor ao dia. Eita, reflexão profunda no pedaço. Talvez seja a melhor ou única parte boa desse texto todo. 
Me sentindo esse personagem

Tá, tudo bem, parei. 

Sério, parei. 

Já enchi a paciência de vocês o suficiente. 

Prometo que esta é a última linha e que vou dormir! 

Mentira! Faltou dar boa noite! 

Até mais! (agora sim, acabei!) 





25 de mar. de 2016

1 Imagem, 140 Caracteres # 131

( Postagem programada, pois na Semana Santa reduzo bastante o uso da internet) 

Bom dia a todos! 

Espero que todos vocês, possam ter uma feliz e abençoada Páscoa! 

Vamos à imagem desta semana? 

Ah, e não se esqueçam de passar lá no blog da Silvana - e de visitar os participantes da BC! 






Existem os dias em que tudo parece perder a cor... Mas mesmo assim,as flores continuam sendo o que são! 



Até mais, gente boa! 






20 de mar. de 2016

1 Imagem, 140 Caracteres # 130

Em primeiro lugar, desculpem o breve sumiço e consequente atraso na postagem. Tive três dias tão agitados que simplesmente não consegui ligar o computador e escrever! 

A Silvana escolheu as imagens desta edição. Isto mesmo, duas imagens, e os participantes podem escolher uma delas (ou, sei lá, as duas), para criar sua frase. 

Como não poderia deixar de ser, depois desta semana tensa para nossa pátria, as imagens escolhidas refletem nossa situação atual. 

É com tristeza que constato que "se correr o bicho pega, se ficar o bicho come". A crise não é apenas econômica e política, é de confiança. Um povo que luta, que pede por melhorias, que mostra o que está errado e ao contrário do que diz a palavra "democracia", não é ouvido. Os que elegemos simplesmente não nos ouvem,traem nossa confiança - não importa a qual partido pertençam - ignoram nossos apelos e muitos ainda riem às nossas custas.. E essa situação se arrasta há muito tempo. Estamos cansados, todos nós. Muito cansados disso tudo. 

Mas enfim.... Escolhi a segunda imagem e posto agora minha participação:

Créditos da imagem: Hugo Martins Oliveira.

 Nosso povo precisa se unir para mostrar sua força.Não podemos esperar um "salvador da pátria".. Cada um de nós tem de sê-lo! 



Segunda opção de imagem para esta BC


Tenhamos todos uma abençoada Semana Santa! 



11 de mar. de 2016

1 Imagem, 140 Caracteres # 129

Bom dia, sexta-feira! 
Bom dia, todo mundo! 
Bem-vindo, fim de semana! 

Estava eu procurando uma imagem bacana e me deparei com uma que vi já muitas vezes... e pensando em seu significado, resolvi usá-la nesta BC! 

Vamos então ao que interessa? :-P 




É desse jeito que nosso planeta poderá ser salvo: de mãos dadas, auxiliando, acolhendo, protegendo! 


Me lembrei da música abaixo enquanto escrevia a frase acima 
( é nisso que dá trabalhar tanto tempo na Educação Infantil, rs)



Até semana que vem, galerinha! 






7 de mar. de 2016

Desafio Literário 2016 - Março - Um livro banido e/ou censurado

Aqui estamos de volta! E o #DesafioMS2016 desta vez consiste em procurar um livro que tenha sido banido e/ou censurado. 

E o livro escolhido é....



FARENHEIT 451 - Ray Bradbury



Algumas das muitas capas que o livro recebeu ao longo de mais de 60 anos. 

O livro foi censurado em várias ocasiões e em diversos países, por conter linguagem considerada pesada, relato de violência e uso de drogas.  A própria editora Balantine Books modificou mais de setenta passagens do livro entre os anos de 1967 e 1979, eliminando palavras como "aborto" e "inferno". 



Escrito em 1953, o livro mostra-nos um futuro -sem indicar o século -  no qual os livros foram banidos da sociedade. 
Guy Montag é um bombeiro, cuja função neste futuro é queimar os livros que são clandestinamente escondidos nas casas dos moradores da cidade.No início da história, Montag está satisfeito com seu trabalho e admira o fogo. 
 Porém, parágrafos, linhas lidas ao acaso durante o trabalho despertam sua curiosidade e Montag acaba escondendo vários livros em sua casa - porém, não os lê, não ainda. 
Uma bela noite, após encerrar seu turno de trabalho, Montag encontra uma vizinha adolescente, Clarisse, andando pela rua, e ela o intriga com uma simples pergunta: "Você é feliz?" Ao voltar para casa e ter de chamar atendimento médico para sua esposa, vendo a frieza com que os profissionais a tratam,Montag sente-se incomodado com a sociedade em que vive. 

Nos dias seguintes, Montag e Clarisse conversam várias vezes, o que provoca mais reflexões sobre a vida dele.  Os livros escondidos em sua casa o assombram e ele já está muito desconfortável em sua função na sociedade. 
Após um evento impactante envolvendo mais uma queima de livros, Montag sente-se doente e não vai trabalhar. Seu chefe, Beatty, vai visitá-lo e aí está uma das partes do livro que mais me chama a atenção: 



A alienação e o gosto por banalidades fica evidente no perfil da esposa de Guy, Mildred, que se esforça para não pensar, não questionar, força-se a ser feliz na alienação. 
A felicidade precisa existir a qualquer custo, de acordo com o discurso do chefe Beatty, e por isso os livros foram banidos: para não atiçar a consciência, não ofender as minorias, os diversos grupos, não levar as pessoas a sentirem-se infelizes questionando o mundo à sua volta. 
A partir daí, Montag entra em um caminho sem volta, lendo os livros que escondeu na casa e pagando um preço por esta ousadia. Não adiantarei mais nada do enredo,pois não é minha função aqui contar o livro todo,  porém está claro como o dia que a vida de Guy Montag não será mais a mesma. 

Desenho de um Sabujo, cão eletrônico programado para caçar presas -ou pessoas. 
Ray Bradbury comentou, em uma ocasião, que o livro fala sobre como a televisão destrói o interesse pela leitura. 
É  impossível não traçar paralelo com a realidade de hoje, em que a tecnologia criou tantos meios para as pessoas interagirem, porém aumentando a solidão. Televisores cada vez maiores, entretenimento, pão e circo, redes sociais e conversas alienantes. A diferença é que hoje em dia há espaço para discussões  nas redes sociais e pessoas que questionam os programas de televisão, ao passo que no futuro de Farenheit 451 as pessoas simplesmente não questionam, aceitam o sistema imposto e os que não concordam ficam escondidos ou são perseguidos...bem, talvez não tão diferente assim...   

Comumente diz-se que o título do livro faz alusão à temperatura em que o tipo de papel de que os livros são feitos pegam fogo. 
Este livro virou um filme em 1966, claro que há diferenças no enredo em relação à história original, mas vale a pena assistir. (Sou suspeita para falar, prefiro o livro, mais denso em minha opinião)


O enredo é perturbador e apaixonante ao mesmo tempo. Vemos a evolução do personagem acontecendo, torcemos por ele, vibramos e tememos pelo seu futuro. As figuras de linguagem de Bradbury são um capítulo à parte: nada de palavras simples, o que se vê são descrições intimistas, metáforas marcantes para definir as situações que Montag vivencia e presencia. Às vezes é preciso reler algumas passagens para compreender totalmente o contexto. 

Demorei para conseguir este livro, agora que consegui só tenho uma palavra: RECOMENDADÍSSIMO! 


Quer participar deste #desafioMS2016? Leia este post e saiba como! 

4 de mar. de 2016

1 Imagem, 140 Caracteres # 128

Boa noite! 

E eis que depois de um dia movimentadíssimo, cá estou eu para não perder a #1imagem140caracteres! 

Tudo bem com vocês? 

A imagem que temos hoje é cortesia da Silvana, lembrando do Dia da Mulher que se aproxima. 

Vamos a ela? 








Trabalho em meio a flores todos os dias e hoje, dia da Mulher, ganhei do meu esposo...uma rosa.  Nossa, "quanta criatividade"! 




Gente, desculpem, minha intenção não era ser irônica mas foi o que me veio à cabeça... rsrsrs. 

Até segunda-feira, com mais uma postagem da série #DesafioMS2016!!! 

 

1 Imagem, 140 Caracteres # 480

 Boa noite! Tudo bem com vocês? Espero que sim!!! Depois de voltar ao trabalho com alguns dias de formação, aqui estamos!  Sexta-feira chego...