Pesquisar este blog

30 de jan. de 2011

Encruzilhada...


Quantas vezes em sua vida você parou e pensou: "parece que tudo evolui, mas eu me sinto parado, preso... parece que algo estagnou". Nunca? Parabéns! Isso já aconteceu comigo, e perdi muito tempo pensando em qual seria meu próximo passo.

Naquela época, atormentada por dúvidas sobre qual caminho seguir, escrevi o seguinte:

ENCRUZILHADA

Para que sentir
O que não sinto?
Para que me acorrentar
À tênue esperança
Do que nunca virá?
Por que não mudar
Transformar
Transmutar
O que é preciso?
Por que não dar
O passo decisivo?
Para que continuar nesta modorra insuportável
Por que não tentar
Experimentar
Andar, finalmente?
Quero andar mas não me mexo
Quero decidir mas nada faço
Ou digo, e o tempo passa
Aumentando a incerteza
Do próximo passo a dar
Nesta encruzilhada da vida
Onde parei
E até agora nada fiz,
Não decidi
Por que não sair do marasmo
Acordar do longo sono
Profundo
E ir adiante?
Por que não jogar fora o passado e a expectativa inútil
E ousar?
 Por que não dar o passo decisivo?



29 de jan. de 2011

Sorry...

Parece desculpa de blogueiro, mas não é. Meu computador estava no conserto, por isso fiquei mais de uma semana sem postar. Tentei ir na casa de uma prima, porém não consegui abrir meus arquivos lá.
Bela estreia no mundo dos blogs! :-(

Bem, mas vamos ao que interessa. Hoje postarei mais um poema vindo das profundezas de uma adolescência quase esquecida:


INSTANTES

A vida é feita de instantes
Que passam e se esfumaçam
Que escorrem como areia entre os dedos
Nascem e morrem: assim!
Um instante pode tudo mudar
Num instante pode tudo passar
Do riso à lágrima
Do amor ao ódio
Da segurança ao medo
Da vida à morte
Do começo ao fim.
Um instante pode decidir
O rumo de uma vida inteira
Um segundo que vive por anos
Um instante aproxima,
Um instante separa
Um instante se guarda,
Um instante prepara
Dá uma guinada
Decide o futuro
Um instante foge, mas seus efeitos ficam
E, às vezes, para sempre...
Um instante, tão fugaz e tão permanente!!!

20 de jan. de 2011

Apresentação Breve...

Oi!
Sou a Mari! Tenho 30 anos, sou casada, professora há quase 10 anos e gosto muito de escrever e ler.
Também gosto de ajudar as pessoas, por isso me envolvo em movimentos sem fins lucrativos, sendo que  faço parte há 13 anos de uma associação que promove brincadeiras, peças de teatro e colabora com outras entidades para ajudar crianças, adolescentes e jovens.
   Relutei em começar um blog.. Explico-me: há  tantos e tantos blogs, sobre tantos assuntos, que fiquei imagiando se "mais um" acrescentaria algo á blogsfera.
Enfim, resolvi arriscar (risos).
Esse blog é para divulgar "meus escritos", ou seja, poemas, crônicas, contos. E se alguém  quiser aproveitar o espaço, pode divulgar suas produções também, deixando-as nos comentários. Darei os devidos créditos.
Vamos nós!

Acordar

 Eu já vivi de sonhos
Tecidos com a tênue linha da ilusão
Já construí castelos de areia
Que desmoronavam ao menor sopro
Já construí muros de frágeis tijolos,
que ruíram fragorosamente.
        Eu já vivi de sonhos
E só fui infeliz.
Já vivi de fantasias,
Já pulei de olhos fechados,
Já tive devaneios demais.
Agora, prefiro a realidade:
Encaro a vida de frente
Caio, levanto, continuo;
Andando para frente.
Continuo com meus sonhos
Mas agora meus olhos estão bem abertos
Vivo a realidade
Medito a realidade
Reflito a realidade.
Sorrio, mas agora meu sorriso é espontâneo
E real
Construo castelos que não desmoronam
São reais
Pulo, porém de olhos abertos
diante da vida
Que agora, para mim,
É finalmente
Real

...eu não quero mais dormir...

1 Imagem, 140 Caracteres #481

Boa noite, gente! Depois de um dia cheio de atividades, aqui estamos!  E começa fevereiro, mês de volta às aulas!  Aqui muita expectativa po...