Pesquisar este blog

23 de dez. de 2011

Tempo, tempo, mano velho....



É uma sensação estranha, compartilhada por muita gente: A cada ano parece que o tempo passa mais rápido.
Principalmente, os últimos meses.
A gente pisca, estamos terminando janeiro.. hora de arrumar as coisas, reinício do ano escolar. A gente pisca mais uma vez, já está terminando o primeiro bimestre, a Páscoa acabou de acontecer.

22 de dez. de 2011

Dicas da Semana # 21 (3ª parte)

.... E última!!!

Dicas para blogueiros (uêba!)



Fazer backup dos posts no Blogger ( tem gente que não faz...) - Dicas Blogger




Precisa de ícones para seu blog? - Find Icons

Cinco dicas para se organizar e deixar seu Blog de férias neste fim de ano - Códigos Blog

Agora, a Mari aqui vai dar uma descansadinha, tomar uma água, sair um pouco... até amanhã!)
(Ah, haverão algumas postagens programadas no blog daqui para frente, por isso não estranhem se eu demorar a responder a comentários. Até mais!)








21 de dez. de 2011

Dicas da Semana # 21 - 2ª Parte

Salve, salve lindo pendão da esperança, gente boa! 
E então, como está a quarta-feira de vocês?
Ah, sim, estou contente, por isso essa abordagem. Bendito seja quem criou as férias! 
Um pouco de tempo a mais na cama, faxina para fazer, mas peraí, não é isso que quero escrever! 
Vamos à segunda parte dos nossos links, que prometi na postagem de ontem. 

Tirinhas, textos, vídeos e afins, com um leve  - ou nem tanto - toque de humor:

Aquelas Pequenas Coisas - Carlos Ruas 

É bobo... mas eu ri. - Cyanide and Happiness

Devolve meu avião! - Charges.com (Maurício Ricardo)

Infância - Will Tirando

Mundo doido - Bichinhos de Jardim

Relíquias do Programa Chaves - Curiosidades na Net


Artigos interessantes (curiosidades, listas, textos diversos, entre outros)

A Roda das Deusas (série de artigos) - Clave de Lua

Os 10 Melhores Filmes de Todos os tempos ( 2 artigos) - Abertura Lateral 


Parta meu coração......  - Cracatoa Simplesmente Sumiu

O papel do Ledor - Um olhar Sobre o Tudo e o Nada



Na próxima postagem, mais uma pequena listinha, depois pegarei o banquinho e sairei de fininho cheeega!





20 de dez. de 2011

Dicas da Semana # 21 (1ª parte)

Nossas "Dicas" hoje serão um pouco diferentes:Primeiro, por que estão sendo postadas numa terça-feira. (OMG, onde a Mari esteve esse tempo todo?)
Depois, porque linkarei aqui algumas postagens de blogs e sites variados,   que chamaram minha  atenção durante o ano, seja pelo humor, reflexão, crítica.. fugindo do padrão.
Tá, sei que estou sucumbindo ao lugar comum de muitos blogs: criar listas ao aproximar-se o fim do ano. Mas, sei lá... fiquei tentada a fazê-lo, e vai ser uma lista de links. 
Outra coisa: esta lista vai ser dividida em duas ou talvez mais  postagens, ok?

Vamos conferir a primeira parte:

Para refletir:

Família - Juliana Oliveira
   

Está tão Ruim como Pensamos? -  Escritos Lisérgicos

O Vício Tecnológico - Momentum Saga


Minha Revolta Transborda - Adorável Crítica

A Afetividade Torta - Adorável Psicose



Amanhã, mais uma série de links. Até lá!






15 de dez. de 2011

Duarte ou Lourenço?

Duarte era o tipo de homem que se poderia chamar "mediano". Nunca fora o melhor, ou o pior, em nada. Nunca fora o melhor da classe, mas também não estava entre os piores. Nunca fora um funcionário exemplar, nunca vira o seu nome nos infames quadros de "funcionários do mês", mas também nunca levara uma reprimenda.

Não era miserável, mas também não podia gastar, de vez em quando, com excentricidades.

Duarte, nem pelo nome era chamado, seus colegas provavelmente não sabiam. Fora chamado pelo sobrenome desde a época de faculdade (na qual também fora um aluno "na média") e assim continuou. Até ele já quase esquecera, a ponto de estranhar quando algum familiar o chamava pelo primeiro nome.

Mas Duarte estava cansado. Cansado da monotonia de estar sempre na média. Era um bom empregado, bom amigo, bom marido (pelo menos a mulher nunca reclamara), mas sentia - se invisível. Perguntava-se frequentemente se alguém sentiria sua falta, quando partisse. Parecia que sua vida estava parada, "na média".
 
Tentou lançar-se como escritor, porém logo ao entregar seus primeiros rascunhos, a editora o classificou como escritor mediano. Ou seja, poderia até ter boas vendas, mas não faria sucesso.

Lembrou-se, então, de um antigo projeto que tinha com colegas da faculdade: montar uma banda de rock. Porém, logo nos primeiros ensaios, percebeu que o som que faziam, era algo "mediano". Não era ruim, mas parecia ser "mais do mesmo".

Tentou criar algo novo no emprego, ter uma ideia que destacasse. Quando finalmente conseguiu elaborar algo, outra pessoa já havia executado.

Mesmo assim, não conformava-se com a ideia de sentir-se "mais um", de sentir-se invisível.

Até o dia...



Até o dia em que fez uma triste descoberta. 
Não eram as pessoas, não eram os seus trabalhos, não era a vida que tornava tudo que tocasse algo "mediano" como se ele fosse um Midas de quinta categoria.
Duarte descobriu que a sua invisibilidade era culpa dele mesmo.

Duarte, ou melhor, Lourenço, começou a repensar sua vida e seus atos e, por mais doloroso que isto fosse, não tinha como negar que se seus familiares, amigos, superiores, editores não o notavam, não percebiam seus talentos (que eram numerosos) era porque ele nunca fazia ou dizia nada que estivesse realmente dentro de si por um único e terrível motivo: o medo.
O medo o reprimia, ocultava suas inúmeras qualidades não permitindo que ele as expusesse ou agisse tal como era realmente. 
Tal como era Lourenço, visto que seu sobrenome recebera tristemente o sinônimo de baixa auto-estima e esta, quando não controlada a tempo, costuma ser devastadora para uma vida.

Medo. Medo de não agradar, medo de receber um não, medo de passar por alguma situação muito constrangedora, medo de surpreender contrariando, medo de viver!
Sim, pois o que ele estava vivendo não era vida. 
A vida só é realmente plena quando ela é vida. Vida é sinônimo de viver. E sobreviver em uma vida média, palavra que nos remete a medíocre, não é vida. Tampouco sobrevida. Pois na sobrevida, os doentes terminais que descobrem portar uma doença grave e incurável, tendo condições de viver o pouco que lhes resta, procuram vivê-la intensamente, por aprender o grande valor que há nisto: na vida. 

Vida. Esta que por vezes nos passa tão despercebida e quando olhamos para trás, para nossos sonhos, anseios, pode já ser tarde.

Entretanto, se havia algo em Lourenço (não Duarte) era uma força de vontade incrível até então reprimida, talentos impressionantes, até então sufocados e, ao chegar a conclusão de que era Duarte o esmagador de todos estes anos, oferecendo-lhe uma vida mediana, tentando enganar-lhe que fizera o possível apenas para aliviar o lado fraco de sua consciência para não ter que enfrentar alguém tão brilhante quanto Lourenço, sabotando tudo o que tentava realizar, os verdadeiros desejos que pertenciam a Lourenço e foram todos sabotados por Duarte, Lourenço tomou uma decisão.

A decisão de que nunca era tarde para recuperar o que havia se perdido pelo caminho. Ciente de que nem tudo seria como teria sido na época em que um objetivo, um sonho lhe fora sabotado, mas que poderia, de algum modo, eliminar tudo o que havia de nefasto naquele Duarte mediano e mostrar ao mundo quem realmente era Lourenço. O verdadeiro, até mesmo no nome.

Lourenço tinha noção de que isto aos olhos dos demais que não conheciam todo o potencial que tinha, por ter permitido que aquele Duarte insignificante tomasse seu lugar, não seria reversível nem mesmo com anos de terapia, porém, somente Lourenço conhecia a si mesmo e agora, também a Duarte para poder controlá-lo, sufocá-lo e até mesmo, matá-lo. Sem compaixão.

É certo que a insegurança ainda era grande, coisas não se modificam de um dia para o outro. Contanto, Lourenço estava disposto a se arriscar, mesmo que isto lhe custasse uma lavagem cerebral ou qualquer coisa do gênero. O importante para ele era não haver desistido de si mesmo após uma vida toda adormecida.

Ele sabia que nada pior do que Duarte poderia lhe acontecer e resolveu enfrentar todas as situações de frente, recriar, reinventar-se, o que em verdade era apenas... revelar-se. 
Ser o que realmente era sem remorsos, controlando temores e provando a si mesmo o quão valiosa era sua pessoa.

E quanto a você? 

Refletindo sobre sua vida, quem se sobressai? Lourenço, aquele que você sabe (sim, por mais que negue para fingir falsa modéstia ou por insegurança ou qualquer motivo que seja, mas sabe!) o quanto pode ser cativante, inteligente, alguém de sucesso, de destaque. 
Ou Duarte? Aquele que sabota tudo de bom apenas por um falso conforto que só levará a um caminho: o da frustração?

Pense. Esta decisão depende de uma vida. A sua.

Este texto foi escrito por mim e pelo Christian, do Escritos Lisérgicos. 
É a segunda vez que escrevo em parceria, e sinceramente, adorei! Obrigada Christian, você escreve muito, muito bem! 

14 de dez. de 2011

Dezembro chegou...

....e nas ruas já se vê aquele clima de Natal.
E eu divagando.
Estava lendo o blog Mundo Encontado, e uma postagem sobre o Natal me chamou a atenção. A postagem começa assim:

"Viva o natal!

Viva a sociedade de consumo!

Viva as lojas cheias, as propagandas, as luzes encantadoras...

Montes e montes de comida em uma mesa e nenhuma em outra." (se quiser conferir o resto, clique aqui

Um dos grandes males da industrialização e sociedade de consumo, é a deturpação do sentido das datas comemorativas. 

12 de dez. de 2011

Dicas da Semana # 20




Começando mais uma segunda-feira, e mais uma semana em direção ao fim de 2011! 
Hoje mais duas dicas bacanas, para quem quer começar bem a semana, ou passar um tempo degustando textos...

9 de dez. de 2011

Encruzilhada (2)

(para quem não entendeu, aqui está o primeiro Encruzilhada)



Para onde foi meu mundo
Aquilo que eu conhecia?
Meus pilares, minhas certezas. 
Quem mexeu nelas?
Para onde foram?

7 de dez. de 2011

Não acredito....

Estamos em uma época em que valores são questionados, debatidos, solapados.. algumas pessoas tentam trazê-los de volta, outras praticamente "aceitam",com ar derrotista, que estamos em uma viagem sem volta para a falta total de princípios.

5 de dez. de 2011

Dicas da Semana # 19

  

As "Dicas " dessa semana, serão dicas de Tumblrs. Vale a pena conferir...




Quem escreve neste tumblr é o Leandro Leite, e segundo o próprio o tumblr é 

"Um pequeno espaço pra colocar um monte de coisinhas pessoais, quase como uma prateleira pra livros que eu não tenho. (Correção, eu fiz uma! :D)"

Pela descrição, nota-se que se pode achar toda sorte de postagens, desde desenhos, muitas imagens (é o que predomina), frases e até contos. 
Destaque (no meu ponto de vista) para  a série "O Inusitado Caso de Spencer", que já está em seu sétimo capítulo - li todos, e estou aguardando a continuação, muito bom! Uma história, como diz o título, inusitada.


ATUALIZAÇÃO ( 12/09/2013)  O tumblr Espaço do Tanatos, infelizmente, foi descontinuado, e até hoje não sei como terminou o bendito caso inusitado do Spencer (chuif). 

 

"Mantenha os olhos atentos e a cabeça erguida. A cidade quer se comunicar e tem algo a lhe dizer. Repare nos muros. Frases. Imagens. Intervenção. Inspiração. Reflexão. Arte. Pare. Pense."

Olhe os Muros é uma coletânea de fotos de muros, com pixações, grafittis, desenhos... passando mensagens de humor e reflexão. 

Segundo os autores do Tumblr, " Existem muros milenares que ainda hoje nos contam a história de povos antigos. Os muros sempre foram uma ferramenta, um instrumento de questionamento, provocação, humor, pensamentos, reflexões e arte."

O Tumblr também incentiva aos leitores, que mandem fotos de muros que acharam interessantes, porém de olho em algumas regras básicas. 


E então, gostaram das dicas? Há algum site, blog, tumblr... que você conheça e gostaria que fosse indicado neste espaço? Se tiver alguma sugestão, entre em contato!













2 de dez. de 2011

Oras, hora!


Hora de ir
Hora de voltar 
Hora de partir
Hora de chegar

Hora para lembrar
Hora para esquecer
Hora para criar
Hora para repousar

Hora para pensar
Hora para agitar
Hora para acalmar
Hora de descontrolar

Hora de aconchegar....
Hora para ser livre! 
Para sentir o sono macio, 
Para acordar feliz, para vadiar...

E a hora para simplesmente ser?!?

28 de nov. de 2011

Dicas da Semana # 18

Começando mais uma semana, o ano quase acabando.... Dessa vez, fugirei um pouco da linha do blog (só desta vez? Ahã,sei!) falando sobre utilidade pública.

25 de nov. de 2011

Deixei ...

Deixei para trás o sentimento de pena (de mim mesma!)
Não me deixava crescer
Deixei para trás o sentimento de culpa
Não me deixava avançar
Deixei para trás o ressentimento
Não me deixava respirar
Deixei para trás o medo
Não me deixava criar
Deixei para trás........ o que mesmo?
Não lembro mais!
Por que tudo ficou como deveria estar:
Lá atrás!

23 de nov. de 2011

Insanidade (1) ou Ode às Postagens Imbecis

(Quem é leitor assíduo de blogs, e já se deparou com absurdos na internet, provavelmente vai entender....)



Criando rimas idiotas, só pelo prazer de ver 
Palavras nascendo ao bater de teclas,
Brancos riscos sobre o preto plástico, 
formando frases desconexas
coisas sem sentido
Fios, cabos, satélites, ondas de rádio
Energia elétrica
Levando frases insanas a todo canto da terra
Caps, Space, Enter, Delete. 
apenas som do tec-tec-tec
martelando 
Uso inútil de tanta tecnologia! 
Palavras perdidas!
Pensamentos doidivanos escorrendo pelos dedos e parando no universo digital. 
Devaneios e desvarios, idiotices
por que não ficam presas apenas na cabeça? 
E mais uma vez, mais uma pessoa, 
entre tantas, 
acessa o mundo virtual e
despeja novamente mais frases e filosofias vãs
que nada vão melhorar.
E tecla, tecla, tecla, como se não houvesse amanhã. 
Pouco ou nada apaga! -  e tecla, tecla, tecla...
Cria amigos e inimigos mortais, 
sentado atrás de uma tela luminosa
em um canto, em uma casa qualquer.
A seta se move e clica em um botão virtual:
Pronto, lá foi para o ciberespaço, 
mais um pouco de filosofia boçal! 

21 de nov. de 2011

Dicas da Semana # 17

Depois de um final de semana descansando (ou, pelo menos, deveria ser assim), vamos começar a segunda-feira de forma mais descontraída? Como já postei em outro "Dicas", que tal um pouco de humor para desopilar?

Let's go!

17 de nov. de 2011

Não vou escrever agora.


Sentada na frente do monitor. 
De novo. 
Alguém escreveu que hoje é o dia da criatividade... então ela fez o mesmo que seres humanos fazem: tiram folga em seu dia. 
Lembrei de um escritor, que certa vez disse: " Todo mundo tem um dia em que, não sabendo sobre o que escrever, fala da falta do que escrever". Ou, algo do gênero, sei lá. 

Enfim... há tantos assuntos, desde as subcelebridades que acham que basta emplacar um rostinho bonito e corpo malhado e comprado para fazer sucesso, até a dissecação das ideias de Stephen Hawking, mas há dias em que nada parece favorecer a quem quer escrever algo. 

11 de nov. de 2011

Calma...

Nossos dias parecem nos atropelar
As horas parecem se escoar
Tão rapidamente
Que é preciso pedir: 
Calma!

As pessoas parecem correr
Os dias parecem voar
Tudo parece enlouquecer
E é preciso implorar: 
Calma!

Tudo parece sem controle
Tudo parece enervar
O tempo parece conspirar 
Para esta necessidade sufocar: 
Calma! 

É preciso lembrar
É preciso pedir
É preciso implorar
É preciso decretar

Calma!

Calma.... 

é preciso deixar, às vezes, 
o barco correr...
a raiva passar... 
a noite chegar... 
um novo dia nascer... 
para poder resgatar
e compreender
Calma.....
paz.

(por favorzinho???)

1 de nov. de 2011

Medo

Medo... de que?

Medo que nada dê certo
Medo de não agradar
Medo de errar
Medo de perder
Perder algo
Perder alguém
Perder a si mesmo. 
Medo
De que?

29 de out. de 2011

O Alto da Montanha - A decisão final


Estou entre a necessidade de realizar um sonho e a vontade de voltar à segurança do conhecido. 
Sempre quis conhecer o mundo, sempre achei que a cidade em que vivia não tinha muito a me oferecer. 
Agora, machucada pela vida, conhecendo o bem e o mal, a satisfação e o desespero, o silêncio e o tédio....continuo sofrendo o tédio das noites vazias, na vida que escolhi.... ou volto para casa, para lembrar o que me motivou a sair de lá? 
Voltar para algo do qual fugi... não parece ter sentido, ou sei lá, talvez tenha todo sentido do mundo. 

27 de out. de 2011

O Alto da Montanha: A realidade.

Veja o início da história



..Desci do ônibus e me deparei com as luzes da cidade.
O movimento intenso, totalmente o oposto do que costumava conhecer, o barulho ensurdecedor dos veículos, das pessoas indo e vindo com conversas indecifráveis.
E o mar... Ah, o mar! Era tão imenso, muito mais do que imaginava.
Caminhando pelas ruas hoje, sentindo um oco no estomâgo e sem me preocupar em correr qualquer perigo, lembrei-me de quando parti e pensei ser a última vez que contemplaria as montanhas ao longe e... certamente era.
Se conquistei o mundo? Bem, conquistei experiência, vivi situações diferentes... mas não posso dizer que conquistei o que queria.

26 de out. de 2011

Acreditar....

Acreditar na vida
Acreditar no futuro
Acreditar quando ninguém mais acredita
Acreditar no amor
Acreditar na bondade.. 
Acreditar na honestidade.

24 de out. de 2011

Cansaço

Cansaço no corpo
Cansaço na mente
Cansaço na alma
Cansaço  persistente

Bocejos irrompem, repentinamente
Cansaço do tempo
Do mundo
Da vida
De toda gente. 

Uma noite de sono nem sempre basta
Para tirar o cansaço do peito, do corpo, da mente
Nem para mudar
Completamente

Mas espero,
da mesma forma 
O dia de amanhã..... 





20 de out. de 2011

Desafio.

 Recebi a indicação deste desafio pelo Christian, do blog Escritos Lisérgicos.

O Desafio consiste em:

1) Publicar o selo e o blog de quem indicou o desafio: Ok, já está aí em cima.
2) Responder ao questionário: (respirando fundo... lá vai):

18 de out. de 2011

Dia do Professor

Sábado foi dia do professor. E noto duas correntes, a cada vez que se comemora esta data: Uma que ressalta os pontos negativos, a realidade cruel da violência nas escolas, desrespeito, falta de reconhecimento, problemas de estruturas, enfim.. retratando o professor como coitadinho, sofredor, pobre ser cansado, vivendo com um salário de fome e que só continua por muito amor ou falta de perspectivas.
Outra corrente é a que exalta, quase endeusa a figura do professor, comparando sua missão com sacerdócio, o guerreiro que luta para melhorar o futuro do país, o profissional abnegado que não se importa em varar noites e fins de semana procurando novas estratégias de ensino, que transforma as turmas para as quais leciona, ou seja, quase um super herói.

15 de out. de 2011

Só um pequeno esclarecimento (de novo!)

Não, não estou sucumbindo à chatice.
Só para avisar que, devido a alguns pedidos, vou esticar o prazo para postar o final do conto O Alto da Montanha. Estou lendo o que já recebi com calma para o conto ficar,como dizem, "redondinho"...

Também tenho outra postagem para publicar, mas estou meio sem tempo nesse sábado, então, até mais!
Abraços.

12 de out. de 2011

Este post aparenta ser politicamente incorreto. Não leia.


Calma, carinha, não é nada contigo não! 


Chamar alguém de negro é ofensivo. O correto é afrodescendente. 
Sugerir que alguém engordou, também é ofensivo. O correto é acima do peso ideal. 
Dizer que alguém é baixinho,  também não dá. O correto é sujeito de baixa estatura. 
Ah, e feio! Nem pensar, feio é xingamento. A pessoa não tem a beleza considerada padrão.

8 de out. de 2011

Os Cegos do Castelo

Eu não quero mais mentir
Usar espinhos
Que só causam dor
Eu não enxergo mais o inferno
Que me atraiu
Dos cegos do castelo
Me despeço e vou
A pé até encontrar
Um caminho, um lugar
Pro que eu sou...

Pequenos esclarecimentos 2: a volta de quem não foi. (rs)

Fiquei uns dias sem entrar no blog, pois estava me dedicando a divulgar e ajeitar os detalhes do Oratório Festivo, que acontecerá no próximo domingo, dia 16. (E também por conta de uma dor de cabeça enorme que tomou-me dois dias, arghhhhhhhhhhh!) 

Nesta próxima semana, estarei postando a continuação e final d'O Alto da Montanha. Se mais alguém quiser contribuir com o conto, contate.

Voltamos agora  à programação normal.

5 de out. de 2011

Silêncio





Estende-se sobre mim quando menos espero
Cala meus gestos, minhas ações
Desce pesadamente 
E narcotiza-me
Até quase o pensamento parar. 
Nada para dizer agora
Nada para fazer agora
Não ouço nenhum som
Não ouso quebrar o momento
Parece durar tanto
E às vezes parece pouco.
Desejável?
Às vezes.
Execrável?
Talvez
Temo, e ao mesmo tempo espero
Por este pouco de 
Silêncio.

1 de out. de 2011

Pequenos esclarecimentos....

Um post curto,apenas para esclarecer um pouco sobre o conto " O Alto da Montanha". 
A finalização do conto, em conjunto, vai ocorrer da seguinte forma: 
Lerei com calma e carinho as eventuais participações, e juntarei as ideias, utilizando um fio condutor que finalize o conto de forma coerente, claro. 
Quando publicar o final, também publicarei os nomes de quem contribuiu, e no caso de ter participação de outros escritores que possuem blogs, linkarei os blogs dos mesmos. 
Quaisquer outras dúvidas, podem deixar nos comentários e no e-mail
Abraços e bom final de semana!

28 de set. de 2011

O alto da Montanha.





















Quando parti, contemplei pelo que pensei ser a última vez as montanhas ao longe. A cidade calma, a vida devagar, o dia se arrastando. Homens, mulheres, crianças, para lá e para cá em suas bicicletas. Um coreto na praça central, um pipoqueiro com seu carrinho. O sol ia se pondo, mansamente. Lugarzinho bucólico.
Eu queria mais. Aquele lugar parecia pequeno, era pequeno para mim, para minhas ambições, meus planos. E eu precisava de mais. Precisava crescer. 

26 de set. de 2011

Dicas da Semana # 13

Mais duas dicas de sites para começarmos a semana!


Enjoy!




Blog do Chain



Este blog foi criado para divulgar a Livraria do Chain,em Curitiba. A livraria é de propriedade do senhor Aramis Chain, livreiro há mais de quarenta anos

No blog encontram-se dicas de livros, textos e amostras dos exemplares disponíveis na livraria, com dados bem completos (nome do autor, preço, editora, telefone e e-mail de contato para quem quiser pedir o livro mencionado). Também
Um modo interessante de divulgar a livraria, conseguindo potenciais clientes virtuais: 

http://livrariadochain.blogspot.com/


Literary World



Um blog que fala, respira, se alimenta de livros e afins. Segundo a autora, " Este é um mundo virtual onde você fica por dentro das ultimas novidades em livros e filmes!" 

No Literary World você encontra resenhas de livros e filmes, sorteios de livros e um espaço para o leitor ajudar a escolher a próxima obra a ser resenhada. 
O blog possui parceria com várias editoras. 

25 de set. de 2011

Sobre leitura e prazer de ler

Tenho notado um fenômeno que vem ganhando força, ao qual chamarei aqui de "leitura fast-food": pessoas que querem ler, porém sem ter que empregar mais de dois minutos. (aliás, dois minutos já é muito).

Experimente postar uma opinião que contenha mais de um parágrafo no orkut, facebook ou por e-mail: uma das respostas inevitáveis é "preguiça de ler.." ou, comentários com interpretações errôneas sobre o conteúdo publicado, mostrando de forma evidente que o comentarista não leu até o fim, apanhando uma frase aqui ou ali para ter uma resposta para postar. (não estou falando de trolls ou coisas do gênero, ou de gente que não lê mas copia - talvez fale disso em outra ocasião).

Ou seja, falando objetivamente: se entrou no blog por que o assunto interessou, que seja com tempo para ler mesmo o texto, não só superficialmente.  Alessandro Martins ilustrou essa realidade em um post, no Quero Ter um Blog,:  Confirmado: a maioria dos leitores da internet não passam do título

As pessoas que mantém blog, não o fazem apenas por vaidade (tá, bom tem as que fazem), mas sim porque tem algo a dizer e acham que vai ser bom . Para criar um post, precisamos pensar no que vamos escrever, colocar as palavras de modo que possamos ser corretamente interpretados, formatar o texto, enfim, não deixa de ser um trabalho. Ah, e claro, nossa vida não se resume a escrever - no meu caso, por exemplo, é um hobby. 

Enfim, antes que o texto fique muito longo e as pessoas não leiam - hauahauah - gostaria de pedir aos leitores que acompanham o Devaneios:na sua opinião, por que tanta gente lê de forma superficial? Falta de tempo? De paciência? Linguagem difícil? Qual a sua opinião a respeito?

22 de set. de 2011

Desabafo desvairado

( O texto abaixo foi um desabafo da adolescência, mas percebi que já me senti assim em muitas outras ocasiões na vida: pessoal, profissional, familiar.... acho que quase todo mundo já teve essa sensação... de impotência, de raiva, angústia...mesmo os que são seguros de si...) 

21 de set. de 2011

Desmotivação.

Poça de água
carro passando
roupa enlameada
eu mereço!?

Gente de mau humor
reclamações
nada funciona
Desapareço?

Vida cara
Fazer mercado
Pagar dobrado
Encareço

Visita inesperada
Falha no sistema
Dor de cabeça
Anoiteço

Vida passando
Televisão
Espero o amanhã
Adormeço

17 de set. de 2011

Surfando Karmas e DNA

"Quantas vezes eu estive
Cara a cara com a pior metade?
A lembrança no espelho,
A esperança na outra margem"


Juliana estava irritada naquele dia. Irritada consigo mesma.

"Quantas vezes a gente sobrevive
À hora da verdade?
Na falta de algo melhor
Nunca me faltou coragem"

Confrontada com suas vaidades, seus destemperos, suas crenças, sabia que nada mais seria igual,muito menos ela mesma.

"Se eu soubesse antes o que sei agora
Erraria tudo exatamente igual..."

Mas não mudaria tanto por outras pessoas. Nem mesmo por causa de Célio.Nem mesmo para alegrar quem amava. E teria feito tudo de novo. "Errar exatamente igual", mas com outro aprendizado, talvez.

"Tenho vivido um dia por semana
Acaba a grana, mês ainda tem
Sem passado nem futuro,
Eu vivo um dia de cada vez"

Viver um dia de cada vez. Deixar o tempo escorrer suavemente, esquecer os ponteiros. A cada dia basta seu mal. E Célio, se queria continuar fazendo parte de sua vida, que aprendesse também a viver um dia de cada vez.

"Quantas vezes eu estive
Cara a cara com a pior metade?
Quantas vezes a gente sobrevive
À hora da verdade?"

Algo mais estava incomodando... Ah, sim. Seu reflexo no espelho, que há tempo não sorria. E por que não sorria? Estava bem estabelecida, tinha emprego, casa, marido. Às vezes viviam à turras,só para depois fazer as pazes. Uma relação de amor e ódio quase escravizante. E a culpa era.... dela.

"Se eu soubesse antes o que sei agora
Iria embora antes do final..."

Se soubesse que teria dado à sua vida um rumo tão patético, talvez tivesse acabado com isso mais cedo. O trabalho estava enfadando, o relacionamento não preenchia mais, a casa começava a ter trincas. E a vida parecia estar cansada dela, Juliana, também.

"Surfando karmas e dna
Eu não quero ter o que eu não tenho
Não tenho medo de errar!"

O estalo veio ouvindo essa letra de música: relembrando a adolescência, quando parecia que tudo estava sorrindo e desabrochando ao redor dela. "Não tenho medo de errar"! Será que ainda podia afirmar isso?

"Surfando karmas e dna
Não quero ser o que eu não sou
Eu não sou maior que o mar..."

Não queria ser o que não era. Não queria mudar tudo e todos ao redor. Juliana só queria voltar a ser ela mesma. Queria que a vida voltasse a sorrir. Queria voltar  a sorrir para a vida.
Encontrar-se novamente, reconhecer aquele rosto no espelho, aqueles olhos, como seus. Reconhecer como sua aquela vida. E ter coragem para mudar o que tanto estava incomodando.
 Mas o que incomodava? Os sonhos perdidos?

Não. A sensação de que tudo o que escolheu a estava amarrando. Que as escolhas que fizera não estavam surtindo o efeito esperado. Ela não estava feliz.

"Na falta do que fazer, inventei a minha liberdade!!"

Queria ser livre e estava dando  o primeiro passo: mostrando a Célio, e principalmente a si mesma, que não continuaria concordando com tudo, só para não perder o que já conquistara. Tinha vontades próprias e opiniões que deveriam ser respeitadas.
Um pouco de recíproca do mundo, poxa. Já fizera e dera tanto aos outros, e o que estava recebendo de volta? Do trabalho, recebia de volta o cansaço e a maldita promoção que não chegava nunca.
De Célio? Um mau humor constante. Sabia que o amava, e que ele também. Mas ela se esforçava tanto para tratá-lo bem, para não trazer problemas para casa, para manter o ambiente do lar bom.. e há quanto tempo não recebia de volta uma palavra de afeto? Um incentivo?
Bem, agora iria virar a mesa. Voltar  e recuperar o pedaço dela mesma que estava perdido.

"Surfando karmas e DNA"....

(talvez continue, talvez não)



1 Imagem, Caracteres #472

 Boa noite!!!  Tudo bem com vocês?  Que semana, minha gente. Começando com alagamento em várias regiões do estado, dias sem aula (mas trabal...