Pesquisar este blog

28 de jul. de 2017

1 Imagem, 140 Caracteres # 201

E aí, galerinha, todo mundo teve uma boa semana? 
Aqui tá louco o negócio, no espaço de uma semana a temperatura passou de  congelantes 4 graus para 27.. agora o negócio tá mais calminho e constante.

Ah, lembrando como sempre: quem conhece o projeto 1 Imagem, 140 Caracteres e já participa, bora movimentar o twitter também, mandando lá um #1Imagem140Caracteres! 

E quem caiu aqui porque estava procurando sei lá, uma receita de nutella com brócolis e por algum cruzamento de palavras doido do Google veio para cá, ou que estava procurando um blog novo para conhecer, bem vindo, bem vinda! Se você tem blog e quer participar desta blogagem coletiva, deixe o link da sua interpretação da imagem abaixo, clicando na mensagem do ladinho do sapinho azul que está com fome de endereços! 

Passe também no blog da Silvana, parceira nesta blogagem e nos demais participantes para ver o que saiu da cachola deles! 

Mas enfim, deixemos de conjecturas climáticas e de introduções enfadonhas e enormes para apresentar a imagem desta semana! 



E este é meu cantinho secreto, onde venho assistir a cidade acordar, sempre que preciso ficar sozinha. 


Bom final de semana, gente! 




24 de jul. de 2017

As nuvens não são sempre cor-de-rosa



- Ei, você está atrasada! 
- Você já falou tantas vezes esta frase que ela já perdeu o sentido. 
- Vamos logo! Você se atrasa  e atrasa minha vida!
- Nossa, que dramático! 
- Mas é verdade! Já teríamos concluído várias coisas se você pelo menos se esforçasse pra vir na hora em que a gente chama, caramba! Estou cansado de chegar atrasado a festas, recepções, almoços, até ao trabalho porque tenho de ter paciência e esperar a madame lembrar que precisa tirar a bunda do sofá, colocar uma roupa socialmente aceita e fingir pelo menos que fez algo no cabelo! 
- Toda vez que tem algum compromisso, nunca começa no horário em que diz que vai começar mesmo! 
- Poxa vida.. Desde que começamos a namorar você sabe que eu gosto de chegar na hora certa, odeio chegar atrasado seja lá a que compromisso for. Por que você não pode colaborar? Eu parei de fumar, parei de dançar e até mudei algumas roupas por você, por que você não pode mudar um pouco? 
- Tô pronta. 
-Caraca, como você faz isso? 
- Vamos logo antes que eu deixe você ir sozinho
- Isso não vai acontecer. Agora vamos. 
- Peraí, esqueci de fechar as janelas da casa. 
- ESTAMOS ATRASADOS! Você foi pensar nisso só agora? 
- Vai ligando o carro que eu faço rapidinho. Só tenho de fechar estas janelas e desligar a TV. 
- Tô indo lá. 
- Tá. 
Cinco minutos depois.. 
- Caramba, você vem ou não? 
- Só um pouquinho, queria ver o final do programa. 
- Eu estou muito nervoso agora! 
- Tá bom, vamos. 
Finalmente chegando.
- Viu só, o jantar já começou. 
- Se é para ficar reclamando, eu vou para casa. 
- Aff. Vou pegar uma mesa e deu. 
- Você tá bonitão. 
- Você também. 
- Te amo. 
- Também te amo. Mas da próxima vez dá para a gente fazer as coisas direito?
- Tá bom,vou melhorar nisso. 
Dez dias depois... 
- Vamos logo, a gente vai se atrasar! 

21 de jul. de 2017

1 Imagem, 140 Caracteres # 200

Chegamos ao número 200!!! 

E a imagem que leva este número foi escolhida pela Silvana, e é muito linda! 

Vamos a ela então? 







Não consigo pensar em nenhum amigo melhor que você para compartilhar este momento! Mas...Que horas será que papai volta? 




Tenham um lindo final de semana! 








18 de jul. de 2017

Fogo


Queimo meu diário da adolescência para esquecer como eram ridículas minhas ideias.
Queimo meu antigo caderno de planejamento  financeiro porque chega de números que já caducaram.
Queimo meus primeiros cadernos de registros, porque lembram meus desastrosos primeiros anos de trabalho.
Queimo as notas de compra que vou encontrando porque já deu,
Queimo minha festa de debutante, queimo meu primeiro beijo, queimo meu primeiro rolo-ficante-seja-lá-o-que-for.
Queimo meu álbum de casamento, queimo meus porta-retratos, queimo os cartões de visita, os envelopes com meu antigo endereço.
Queimo os LP's e CD's que lembram como tudo foi fútil e vazio. 
Queimo minhas revistas e livros que alienaram a parte da minha vida que também queimo agora. 
Queimo minhas lembranças passadas, toda a presunção e ambição pequena que tive em um passado que não parece ter sido meu.
Queimo meu eu antigo, queimo meu antigo lar, minha antiga família. 
Contemplo as cinzas sendo levadas embora por um instante, porém logo viro as costas. 
Está feito. 
Agora posso entrar em um novo mundo. 

Este texto faz parte da obra Fragmentos, que estou escrevendo no Wattpad. Quer conferir mais textos lá? Clica na capa do livro! Te espero lá!

14 de jul. de 2017

1 Imagem,140 Caracteres # 199

E a semana passou de novo, rápida como um raio, e eis que chega a sexta-feira! 
Depois de um dia cheio, a imagem aparece,  para alegria de quem estava esperando a imagem da BC desta semana! Tardamos mas não falhamos, galerinha! 

E falando sobre semana e dias cheios, o cansaço muitas vezes bate, não é?
E nem sempre podemos descansar na hora em que ele aparece.. O que será que cansou a pessoa da nossa imagem? 

Deixe sua interpretação aqui e no blog da Silvana também e vamos nos visitar, para ver o que outros participantes criaram a partir desta imagem! 


Imagem retirada do blog Sensei que Nada Sei


"Um cochilozinho, cinco minutinhos, depois me ajeito"....
 Dez horas depois: 
- Não acredito, dormi desse jeito! Preciso mesmo de férias!



Bom final de semana, gente linda! 



12 de jul. de 2017

Fragmentos

(escrito em alguma ocasião nas férias do ano passado)


Abro o editor de texto. Meu livro, que eu queria terminado antes de 2015 acabar, está pela metade. Vejo a data da última alteração do arquivo: 25 de novembro! Nossa, que vergonha, é assim que eu trato o meu projeto de 2015? Não pensei que fosse tão difícil terminar...  Mentira, não pensei que eu fosse me esmerar tanto na arte da procrastinação. Era para escrever um capítulo por mês, assim que o ano terminasse o livro estaria pronto. Mas tive tantas ideias diferentes sobre o que por, embora já estivesse com os capítulos determinados direitinho na estrutura do arquivo.

Agora já é sexta-feira, 04 de janeiro de 2016, e estou com o arquivo aberto na minha frente. E em vez de escrever nele, abro outro arquivo em branco e estou aqui, divagando enquanto escrevo estas linhas. Procrastinação, procrastinação, procrastinação. Parabéns para mim, comecei bem. Igual ao ano passado. Depois fico sem publicar o livro e não sei por que. 

Estou cansada de tantos contos soltos, de tantos fios sem meada, de tantos começos sem final. Estou cansada de ter tantos fragmentos de histórias que nunca terminam, aprisionadas neste computador, esperando inutilmente uma luz no fim do túnel,uma nova inspiração abrir a porta para poderem continuar fluindo e encontrar seu caminho natural. Tantas histórias presas, tantos parágrafos e frases soltas se amontoando, se acumulando, sem ter para onde ir. Não pode ser saudável isso. E se estas letras, palavras e frases soltas se perderem em algum bug inexplicável nesta máquina que as armazena? E se estas histórias não tiverem um final, nunca encontrarem uma conclusão?

E se... elas tiverem sido feitas para não continuarem? Se o destino delas for este mesmo, serem eternamente fragmentos? Retalhos de uma colcha que nunca serão costurados e transformados em algo útil?

Quantas histórias estarão aprisionadas em outros computadores, outros cadernos, blocos de notas, rascunhos em blogs? Além do que é publicado por tantas pessoas pelo mundo afora, além do que vemos em livros e sites... quantas e quantas histórias, canções, poemas e lições estarão no mesmo estado que meus fragmentos? Quantas outras pessoas estão passando pelo meu dilema, neste momento, imaginando tantas palavras represadas e o que fazer para que seus escritos continuem tendo vida?

Quantas histórias invisíveis existem?


7 de jul. de 2017

1 Imagem, 140 Caracteres # 198

Bom dia, pessoal, tudo bem com vocês? 

Chegou a sexta-feira e com ela mais uma edição da 1 Imagem, 140 Caracteres! 

Vamos ver que imagem este dia nos trouxe? 




Pegadas na areia vou deixando
Em direção a um sonho
Vejo o mar pela primeira vez na vida! 


Não se esqueçam de passar também no blog da Silvana,e dos demais participantes! 

Bom final de semana, gente! 




5 de jul. de 2017

Samantha

Samantha estava por um fio. Era a casa para cuidar, já que ninguém lá colocava a droga de uma xícara suja na pia pelo menos, a irmã mais nova para ajudar nos estudos (apesar de ela mesma não ter concluído o ensino fundamental), o maldito horário de trabalho que a fazia ter de acordar todos os dias às quatro da manhã para poder pegar dois ônibus e começar às oito. E nos domingos nem conseguir dormir um pouquinho mais para recuperar-se do cansaço da semana, pois sempre tinha alguém/alguma coisa a acordando:
- Chuva! As roupas no varal
- Sammy! Você viu minha calça preferida?
- Filha! Me mostra como é mesmo que cozinha arroz, mais tarde eu quero fazer.

Não se lembrava da última vez que tinha tido um tempo,um tempinho que fosse, para ela mesma. Já não fazia as unhas há anos, desistira de concluir os estudos por causa da dupla (até mesmo tripla) jornada de trabalho, estava com uma alergia na pele e sem tempo de ir ao médico porque não conseguia sair do trabalho para tal. Depois que a mãe foi embora, cansada de carregar a família nas costas, Samantha acabara assumindo o seu papel. A eterna empregada da casa. Era chegar do trabalho às nove da noite, deixar tudo pronto e se tivesse sorte, conseguir dormir antes da meia-noite para acordar de novo às quatro da manhã do dia seguinte. Isso não acabava nunca...  Às vezes maldizia a mãe, que se livrara de todo o tédio e de uma família que não colaborava em nada, porém a deixara ali, amargando a vida que fora dela. Por quê?

E.. por que essa situação continuava? Os irmãos e o pai tinham duas pernas e dois braços como ela, caramba. O pai também trabalhava fora o dia todo, porém isso não deveria impedi-lo de levar à pia a droga da xícara suja de café. O fato da irmã estudar não deveria impedi-la de colocar suas roupas sujas no cesto. Foi aí que Samantha cansou de vez. Não era justo. Eram dez da noite de domingo. Foi para seu quarto e começou a aprontar o que precisaria para o dia seguinte.

Quatro da manhã, segunda-feira. Um ovo, uma xícara de café. Tudo arrumadinho na cozinha. Uma marmita para o pai levar ao trabalho. Pegou sua bolsa, seu crachá e foi até o ponto de ônibus. A irmã teve de ir para a escola com a primeira roupa limpa que encontrou e que estivesse passada. Junto à cabeceira de sua cama, um bilhete: “Daniela, prepare seu café da manhã e o do Júlio e veja se ele tem o uniforme pronto. Samantha”.

No ônibus, Samantha pensava em como Daniela iria ajudar o irmão caçula, se nem mesmo sabia direito onde ficavam as coisas dentro da geladeira. Mas ela já tinha quinze anos e poderia aprender.
Nove da noite. Samantha chegou em casa. Viu a louça na pia, cobriu com um pano e foi tomar banho. Leu um livro no silêncio de seu quarto antes que Daniela entrasse e logo pegou no sono. Deixou um bilhete na mesa:
“Pai, as contas de luz e água vencem hoje. Como o seu trabalho fica mais perto da lotérica que o meu, por favor pague estas contas”

Terça-feira, cinco da tarde. O pai chegou em casa. A louça do dia anterior ainda estava na pia. O que estava havendo com Samantha? As contas ainda estavam na mesa, ele não havia visto o bilhete, nem mesmo quando viera para casa almoçar. Daniela e Júlio estavam lutando para descobrir como a máquina de lavar roupas funcionava, pois Samantha não havia feito isso também. Como ninguém lavara as louças, cada um pegou uma colher, um garfo e uma faca e comeram diretamente das panelas, que aumentaram o volume que se acumulava na pia.

Quarta-feira, sete da manhã. Enquanto se preparava para ir à escola e chamava o irmão, Daniela topou com mais um bilhete: “Só irão para a máquina as roupas que estiverem no cesto de roupa suja. E lavem as louças, pois eu vou chegar mais tarde”.
Ao voltar da escola, Daniela teve de lavar as louças, pelo menos a quantidade suficiente para poderem almoçar.
Samantha marcou a consulta com a dermatologista e antes de voltar do trabalho foi comprar um livro e matricular-se na autoescola.


    Dez horas da noite. Samantha verificou os cestos de roupa suja, colocou algumas na máquina e deixou o ciclo completar. Passaria as roupas apenas no sábado. Tomou banho e foi dormir com um sorriso ao ver que a pilha de louças na pia diminuíra.

1 Imagem, Caracteres #472

 Boa noite!!!  Tudo bem com vocês?  Que semana, minha gente. Começando com alagamento em várias regiões do estado, dias sem aula (mas trabal...