Pesquisar este blog

31 de jul. de 2020

1 Imagem, 140 Caracteres # 360

Olá, pessoal!

Depois de uma semana inteira de reuniões online, (com várias quedas de internet porque pelo jeito já faz parte) eis-me aqui ainda online, hihihi... para a nossa tradicional #1Imagem140Caracteres desta semana!

Como vocês estão?

Espero que continuem bem e se cuidando.

A imagem desta edição mostra uma das coisas a que tenho me dedicado... Uma forma de limpar a mente e esquecer das pressões cotidianas por um par de horas, enfim,preservar a sanidade e distrair um pouco. Depois de doze anos tocando teclado "mais ou menos", tomei vergonha na cara para aprender a ler partituras. Antes tarde que mais tarde, hahahah.


E vocês, criaram algum novo hábito durante esta quarentena com este propósito?

Vamos para a imagem antes que a sexta-feira acabe. Ou que a internet fique maluca de novo.

Bom final de semana!

Imagem obtida do site da SABRA - Sociedade Artística Brasileira




Descrição: a imagem mostra a mão direita de uma pessoa branca segurando um lápis de escrever, amarelo e com borracha na ponta. Esta pessoa está fazendo, com o lápis, uma anotação em uma partitura que repousa sobre um piano, que na imagem aparece desfocado.


Respiro.
Anoto.
Tento de novo.
Pausa.
Mais uma vez.
O segredo é não desistir.
Esta obra vai sair completa!





24 de jul. de 2020

1 Imagem, 140 Caracteres # 359

Olá!

Uma semana que se passou com uma triste notícia para o estado em que moro com alta de casos e mortes por Covid. Mas enfim, já desabafei antes sobre o comportamento inconsequente de parte da população e o que está acontecendo é o resultado desta inconsequência.

Vamos levantar o ânimo, pois a postagem das sextas-feiras é justamente para desopilar um pouco do cotidiano, não é mesmo?

Espero que todos e todas que estão aqui, lendo esta postagem, estejam bem e se cuidando na medida do possível.

Imagem obtida no site Zoom



Descrição: a imagem mostra parte de um tabuleiro colorido do tradicional jogo de mesa "ludo", onde se destacam um dado,com a parte de cima indicando três e a que está em close na imagem indicando seis. à direita do dado, vê-se três peões verdes, de plástico e à esquerda, desfocado, um peão vermelho.


Meses se passaram, e para manter nossa sanidade, vale recorrer até ao "ludo". Relembrando a infância agora!




Tenham um bom final de semana!



22 de jul. de 2020

A Era da Igorância Orgulhosa (Ou, Ignorância e Arrogância dão uma Ânsia!)

   
   Me sinto vivendo em um país de castigo... Por que as pessoas que poderiam ter feito a quarentena direitinho tinham de ser teimosas e não cumprir as regras? Outros países já reabrindo locais para visitação, planejando competições e shows, e a gente há quase quatro meses ainda nem passamos a primeira onda. E por que? Por terem pessoas egoístas, com falta de consciência. Se só saíssem de casa quem realmente precisa, e quem não tem necessidade sossegasse um pouco em casa, estaríamos em uma situação diferente.
O "brasileiro cordial" a cada década vem perdendo terreno para o brasileiro " se eu estou bem o resto que se dane".
E podemos dizer que esta escalada do individualismo é mundial. Muito triste.

Outra coisa que vemos é a orquestrada divulgação de notícias falsas, hoje em dia chamadas de "fake news".
Divulgação de mentiras ou de meias-verdades não é algo tão "new" assim, praticamente surgiu junto com a sociedade humana. Segundo o livro do Gênesis, haviam apenas dois seres humanos na terra quando a primeira mentira, ou no caso a primeira "meia-verdade" foi contada, então não é de se surpreender que as "fake" nos persigam até hoje.
Parece que a coisa anda mais crônica, mas na verdade o que ocorre é que a internet fez com que as informações, juntamente com as distorções, confusões, mentiras, se espalhem mais rápido.

A "leitura fast-food" (aquela que não passa do título ou escolhe algumas frases em vez de ler o texto inteiro) gera em pessoas incautas interpretações errôneas. As pessoas mal-intencionadas sabem disso e criam munição para atacar ideias, propostas e pessoas com pontos de vista diferentes. E é tudo tão bem orquestrado que as pessoas que querem mostrar a verdade acabam contribuindo com as mentiras, basta ver as famosas "hashtags" em redes sociais. As polêmicas, com opiniões infundadas, mentiras e incentivando conceitos errôneos vivem no topo, muitas vezes por conta dos que querem combatê-las,pois a tal "tag" chama a atenção, deixa as pessoas indignadas e no afã de  desmentir ou combater o absurdo, entram no jogo citando a palavra, fazendo com que fique no topo dos assuntos mais vistos. Assim, atraindo a atenção de outros que talvez nem tivessem conhecimento do assunto e arrebanhando mais pessoas mal intencionadas ou ingênuas.

Falando em más intenções, chego ao que motivou o título deste post: estamos vendo, depois de décadas de luta pela ciência, de tanta gente lamentando a falta de instrução ( neste caso, tanto a formal quanto a necessária para uma boa convivência em sociedade), um movimento inverso, com ideias negacionistas sendo propagadas abertamente e sem pudor por pessoas de diferentes credos, graus de instrução, enfim. A impressão que dá é que não é preciso saber o mínimo sobre um assunto para querer opinar e "lacrar", " massacrar", outra pessoa em um "debate" que na verdade não passa de disputa verbal para exaltar o próprio ego. Vemos isso todos os dias. Gente que não entende uma curva exponencial, por exemplo, querendo explicar estatística, pessoas que tem dificuldade em interpretar textos simples querendo que sua opinião prevaleça sobre os fatos. Que fique claro que não estou menosprezando pessoas que não tiveram oportunidade de estudar ou achando que quem teve mais chance de completar instrução formal tenha mais valor. Mas, fazendo uma analogia tosca, prefiro que um médico formado, com bom conhecimento dos remédios atualmente mais comuns e de seus efeitos colaterais, indique um tratamento a seguir, em vez de uma pessoa que se baseia apenas em seu conhecimento empírico e que não valoriza a ciência.

O problema não é ser "ignorante",pois todos nós o somos em vários assuntos. Afinal, não podemos saber tudo sobre todas as coisas. O problema é essa ignorância orgulhosa. A pessoa que não sabe, não quer buscar o conhecimento para não ser confrontada nas crenças que defende tão ferrenhamente, mesmo não entendendo o porque e ainda se orgulha disso. O tipo de comportamento que está fazendo essa quarentena se alongar ainda mais, deixando a nós, que nos esforçamos para cumpri-la e poder assim preservar tanto nossas vidas quanto as das demais pessoas, com o psicológico abalado e tendo de ser cada vez mais seletivos com o que lemos, ouvimos e vemos para nos manter equilibrados. Exemplos deste comportamento temos muitos, vindos de várias esferas.

 
Aliás, Jaime Guimarães em seu ótimo blog Grooeland, descreve com propriedade no artigo intitulado A Pandemia e o Choro:

"Eis algo que eu não consigo entender: houve um tempo em que demonstrar ignorância era motivo de vergonha e escárnio; hoje, pelo contrário, temos chefes de estado que são idiotas arrogantes e ídolos de milhares de pessoas. Donald Trump e Jair Bolsonaro são dois exemplos que logo saltam à mente. Há outros, claro, porém cito-os porque são símbolos maiores da Idiocracy moderna, duas pessoas que apostam no caos e na desinformação para permanecerem no poder e sustentarem suas legiões de fanáticos seguidores."

      
          Pois é, Jaime, meu amigo.. eu também não consigo entender.

As fake news, a ignorância e a arrogância formam o tripé que levam à condição do primeiro parágrafo deste texto: estarmos ainda "de castigo", sem ter nem passado pela primeira onda da pandemia, quando outros países já passaram ou estão na "segunda onda" dela. E isso acontece porque, além de o conhecimento não chegar a todos como deveria (nem todo mundo tem acesso a informação), ou de chegar distorcido, há a ignorância orgulhosa de quem se firma apenas no que conhece e sabe e não quer admitir que sua opinião pode estar errada. Para quem pensou que a pandemia poderia mostrar seres humanos melhores, podemos dizer: previsão certa e errada ao mesmo tempo. Quem é ético, bom e justo, continuou a sê-lo; quem já era antiético e pouco se importava com o próximo, também continuou da mesma forma. Poucas pessoas mudaram. O que é uma pena. Poderíamos ter a oportunidade de sairmos mais fortes desta situação, de demonstrar a tão propalada garra do povo brasileiro, de seguir o lema de "não desistirmos nunca", mas o "ninguém solta a mão de ninguém" infelizmente parece não ter passado de um lema bonitinho para chamar a atenção em redes sociais.
 
Sugiro fortemente que leiam o artigo do Jaime Guimarães - A Pandemia e o Choro. Já aproveitem para conhecer o blog dele, os textos são muito bons!




17 de jul. de 2020

1 Imagem, 140 Caracteres # 358

Bom dia, povo lindo!


A postagem hoje atrasou, pois quando estava escrevendo, a rua aqui ficou sem energia elétrica.. consequentemente sem internet. E quando a energia elétrica cai, o sinal de celular cai junto. AFF!

Enfim, estamos de volta e nossa Blogagem Coletiva semanal pronta para finalmente ser postada!

Espero que vocês estejam bem e possam ter um final de semana tranquilo!

Imagem obtida no Pixabay



Descrição: a ilustração mostra um pequeno barco  com dois remos, conduzido por uma pessoa, aparentemente um rapaz, vestida com camisa de mangas longas e uma calça, visto de cima. Esta pessoa está aparentemente longe de quaisquer outras, em um volume d'água calmo na cor azul celeste, talvez um lago ou mar. Seguindo a popa do barco, faixas brancas demonstrando o movimento calmo que o condutor está imprimindo.



Sigo calmamente, me ausentando do mundo por pelo menos algumas horas. Azul em cima, embaixo. Silêncio e tranquilidade.



 





10 de jul. de 2020

1 Imagem, 140 Caracteres # 357

Seja bem-vinda, sexta-feira!

Oi, frio que gela as pontas dos dedos enquanto a gente escreve, porque digitar de luva é chato!

Como vocês estão? Espero que estejam passando bem essa semana.

Durante os últimos dias, escrevi vários textos, que não finalizei, ou escrevi e apaguei..Bem, melhor que antes quando não conseguia escrever nada.

E estou acompanhando a FLIPOP! Pela primeira vez, já que este ano é online ( nos anos anteriores não tinha nem condições). O primeiro dia foi bem interessante, abordando temas atuais. Inclusive, uma das mesas teve como tema " Mediação de leitura dentro e fora da escola", ou seja, dois assuntos que amo!

"Ai, mas a FLIPOP é para jovens leitores". E quem já não é tão jovem, tem de ficar parado no tempo? Precisamos conhecer as tendências da literatura, oras.

Enfim, vamos parar de enrolar falando sobre a semana, o tempo, o bater das asas das borboletas amarelas do Sudão na época de outono, e ir ao que interessa, ao que traz a vocês, pessoas queridas que visitam este blog: nossa Blogagem Coletiva Semanal! E a imagem desta semana está chegando!



Imagem : arquivo pessoal


Descrição: a imagem mostra, de forma difusa, três pequenas árvores, de tronco fino, ramificando-se em vários galhos. Elas estão bem próximas umas das outras,de forma que duas delas ( a do meio e a da direita) possuem galhos entrelaçados. A que está à esquerda é um pouco menor, mais difícil de se ver e tem galhos mais finos. É noite, e entre os galhos das duas árvores maiores, é possível visualizar a lua cheia.


Cai a noite fria
Vê-se a lua, depois de dias
O coração se consola na espera
Que venha, depois deste inverno, os risos na primavera!


Tenham um bom final de semana e fiquem bem!




3 de jul. de 2020

1 Imagem, 140 Caracteres # 356

Bom dia a todos e todas!
Alguns de vocês passando calor, outros com várias camadas de roupas e com dedos gelando ( eu estou nesse grupo), e aqui estamos!

Já deu tempo de ler as últimas notícias e ficar um pouco mais indignada, mesmo que nada mais deveria nos surpreender nessa altura do ano, e agora estamos aqui! Espero que estejam bem! Continuem se cuidando; independente de decretos e autoridades, tenham bom senso!

Enfim, vamos à imagem desta semana?


Imagem de Daria - Yakovleva, obtida no Pixabay


Descrição: a imagem mostra, no centro, uma tábua redonda própria para culinária, sobre a qual estão modelados vários pasteizinhos já recheados e fechados, de pé sobre a tábua enfarinhada. do lado direito da tábua, em cima da mesa de madeira, estão um rolo de madeira próprio para massas, pequeno, sobre um paninho estampado. Do lado esquerdo, um aparato para seis ovos, sendo que um nele há cinco ovos, um dos quais a parte de cima foi quebrada. Em frente à tábua redonda, um pequeno saco de papel com farinha e um potinho redondo, sem tampa, dentro do qual está um pó branco que, talvez seja sal.


Estou fazendo um jantar surpresa... Hi, acho que esqueci o sal!
Serão duas surpresas.

 





Bom final de semana!



1 de jul. de 2020

Pequenas divagações quarentenísticas

1º de julho.

Segundo informações oficiais, centésimo dia de quarentena
Segundo todos nós sabemos, até agora não houve uma quarentena real, cumprida por todos e com as condições adequadas.
Mas sigamos.
Porque precisamos seguir, precisamos nos ocupar, precisamos acreditar em alguma coisa para não enlouquecer. 
Precisamos continuar acreditando que "depois da tempestade vem a bonança", mesmo que a tempestade pareça interminável.

Aliás, ontem aqui foi uma tempestade real, o chamado "ciclone bomba" pegou todo o estado onde moro e outros vizinhos, e pelo que li no Twitter agora há pouco ainda há lugares sofrendo com os fortes ventos. Foi um período agoniante, com ventos fortes, telhados voando, árvores caindo, construções sendo arrasadas e um blecaute na energia elétrica considerado o maior da história do estado até agora. Há lares por todo o estado ainda incomunicáveis e prejuízos sendo contabilizados. Aqui onde moro estamos bem, apenas alguns sustos mas seguimos, somando mais essa loucura à sucessão de episódios atípicos que tem acontecido neste 2020.

Enfim, estamos fazendo o que precisamos agora.. esperar. Esperar. Rezar, confiar e esperar. Torcer pelos nossos amigos, familiares, pessoas que amamos. Mesmo passando um pouco de raiva com a falta de bom senso de outras pessoas que colocam toda a comunidade em risco. Passamos raiva porque nos importamos.
Enquanto isso, vamos seguindo esta nova rotina, deixando na garagem ou fora da casa de vez roupas "de ir ao mercado", conferindo e re-conferindo lista de compras para não correr riscos desnecessários, usando telefone e internet para resolver coisas que antes se resolviam pessoalmente. Alguns trabalhando em casa, outros que infelizmente não tiveram essa opção saindo todos os dias com medo (bem, nem todo mundo, mas enfim).

Nos vemos novamente, se Deus quiser, na sexta-feira, para nossa blogagem semanal!


1 Imagem, Caracteres #472

 Boa noite!!!  Tudo bem com vocês?  Que semana, minha gente. Começando com alagamento em várias regiões do estado, dias sem aula (mas trabal...