Pesquisar este blog

28 de mar. de 2012

Interrogações

Mas o que se passa?
Para onde você vai?
O que é isso tudo?
Para que indagações?
Por que o mundo gira?
Por que o preconceito?
Por qual modo o racismo
Mas que trevas estou vendo?
E, afinal
Por que tanta pergunta sem resposta?

26 de mar. de 2012

Dicas da Semana # 31

Hoje nossas dicas são de sites sobre... dicas!

Sim, sites que dão dicas sobre esta complexa rede, que muitas vezes parece mais uma teia de aranha, outras vezes um labirinto, chamada Internet; e também dicas para quem arrisca produzir algo na internet, como por exemplo esta criatura que vos escreve.


20 de mar. de 2012

Dicas da Semana # 30

Não , não houve engano. Semana passada não teve dica. Quis desdobrar um post em dois, e então ficou assim mesmo.
Estou até pensando em remodelar um pouco o modo de divulgar as dicas, mas enquanto isso, na sala da justiça, chega de lero-lero e vamos ao que interessa:

16 de mar. de 2012

Várias facetas, várias vidas - III

SUZANA

O tempo passou. 
E eu fiquei. 
A triste história de uma criatura que não teve iniciativa. Suzana, seu segundo nome é inércia. 
Maldita manhã de setembro, que me trouxe a nua  e fria verdade, que passei tanto tempo escondendo! 
A vida passou, as pessoas que amei partiram, cuidaram cada qual de sua vida, tomaram seus caminhos... 
E eu fui ficando. Por pura nostalgia, agarrada ao ideal da juventude, impedindo-me de ser tragada, junto aos de minha idade, pela engrenagem da vida que julgava cruel. Tínhamos planos e sonhos, ideais tão bonitos para a época! Mas sonhos não enchem barriga...
Eles casaram, mudaram de emprego, saíram.. até os que pareciam pouco promissores estão felizes,realizados. Eu fiquei, parei no tempo. 
Saudades das alegres reuniões e festinhas,cervejas, aniversários, pedaladas, a alegre inconsequência dos finais de semana. O nosso grupo foi se modificando, alguns saíam para fazer suas vidas, outros os sucediam. Eu era a mais nova, quando me dei por conta era a veterana. 
E agora percebo que não acompanho mais o ritmo.. não é por falta de vontade, de "fôlego"... é que não é a geração jovem de hoje que quero acompanhar. O que eu queria é inatingível.. eu queria aquele grupo de amigos, queria viver tudo de novo. 
Sim, continuo estacionada no tempo. O grupo atual ainda quer ir a baladas, "ficar", ouvir música... Eu os acompanho, sem dificuldades. 
Mas não é a mesma coisa. Não é o meu pessoal.
Todo dia eu vou para um emprego mediano, trabalho de forma mediana, o dia termina,vou para casa, fico em frente ao microcomputador com fones de ouvido, sorvendo um café em silêncio, pensando como parei no tempo e se algum dia conseguirei que minha vida se mova novamente. 
Maldita manhã de setembro...

11 de mar. de 2012

9 de mar. de 2012

Várias facetas, várias vidas - II

VICTOR

Os dias passam rápido, nem os noto. Pois minha vida acontece mesmo à noite. 
Durante o dia, fico um bom tempo sentado na praça, ou em escadarias, olhando sem ver as pessoas que passam. O ritmo frenético se desenrola, e eu enrolo o baseado. 
As pessoas passando pelas ruas não existem para mim, tampouco eu existo para elas. Gosto de ser invisível, quero ser invisível. E espero a noite chegar. É assim há muito tempo, desde aquela manhã de setembro.
Desde aquela época eu era o ser da noite. O céu escurecia e finalmente era minha hora. Hora de existir, de me sentir vivo. Danceterias, bares, boates, raves, luzes multicoloridas pouco eficientes em varar a escuridão.
Sentir a música entrando no meu corpo, ditando meus movimentos...me entregava completamente às sensações. Eu era, e ainda sou o movimento.Outras pessoas perto de mim,uma comunhão de sentidos, realçadas pelos drinks noite afora. Ah, e o ecstasy. 
Mesmo acordando com um gosto amargo na boca e o corpo moído, minhas incursões pela noite valeram, e de certa forma, ainda valem a pena. 
Mais um dia começava eu eu tornava a me enclausurar na indiferença. Alguns bicos garantiam a grana para poder viver a noite. 
Não precisava de mais nada para ser feliz.
Hoje em dia,já nem sei se sou realmente feliz, porém não quero mudar minha vida por enquanto. Noto que minha rotina começa a ficar sem gosto, sem emoção. Aquela manhã de setembro mudou alguma coisa em minha vida, no que eu penso, mesmo que externamente nada tenha mudado. 


(continua...)

6 de mar. de 2012

Dicas da Semana # 29

Postagem de segunda saindo na terça, para talvez ser lida na quarta. Brincadeirinhas à parte, os blogs citados aqui hoje tratam de sentimentos, emoções, cotidiano, humor.... levando , como vários outros escritores que já tratei aqui em dicas anteriores, a viajar em suas palavras.

2 de mar. de 2012

Várias facetas, várias vidas.

ANA


Acordei assustada naquela manhã de setembro. Nove horas! Estava atrasada. Peraí, atrasada para que? Eu estava desempregada há quatro meses!

Desanimada (por que não consigo logo um emprego?), fui fazer um café. Olhei a janela: lá fora se via o alegre movimento das borboletas sobre as flores amarelas. Depois do café, forçosamente, eu teria de ir às ruas, bater de escritório em escritório, com meu currículo na mão(depois de mandar vários outros por e-mail), receber vários nãos, voltar exausta para casa e almoçar qualquer porcaria. E à tarde, repetir aquela romaria... não, disse para mim mesma. Naquele dia, não.
Ia ficar em casa, sem nada para fazer, recarregando as baterias.
Amanhã eu recomeço, disse a mim mesma. Hoje, vou ficar aqui. Só, comigo.
Uma última olhada pela janela. Primavera. Um dia lindo, perfeito, para não fazer nada.
Resolvi dar uma volta pela cidade. Naquele dia, só naquele dia, eu não seria alguém procurando emprego,eu não passaria pelas ruas prestando atenção a anúncios. Daria uma trégua a mim mesma.
Passei a manhã em casa e fiz um almoço decente, o primeiro em vários meses. À tarde, o passeio planejado. Pena não poder fazer compras! Vivendo daquele maldito salário desemprego, era o básico que deveria escolher: comida, higiene e e talvez se possível, alguma roupa.
Passei por ruas, calçadas, puxa, quanta gente para todos os lados! Parei em um banço na praça, fiquei olhando aquele movimento todo de gente, o chafariz no centro. Muitos passarinhos rondavam uma dessas estátuas que a gente passa todo dia e não liga para o que elas representam, pois está engolido pela engrenagem que faz a sociedade se mover. Trabalho,trabalho.. eu prometi que não iria pensar nisso, não naquele dia.Os passarinhos tomavam banho no incessante chuvisco que o chafariz proporcionava. Puxa, eles tem a vida mansa... Saí calmamente, cantarolando baixinho, pensando na vida. Já faziam três anos que  morava naquela casa. Sozinha, porém independente.
Poderia ir para a casa de meus pais, enquanto não arranjasse emprego. Mas sentia que seria um retrocesso. Seria colocar por terra toda a luta por independência que travei durante anos.

(continua.... ) 

1 Imagem, Caracteres #472

 Boa noite!!!  Tudo bem com vocês?  Que semana, minha gente. Começando com alagamento em várias regiões do estado, dias sem aula (mas trabal...