Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2014

1 Imagem, 140 Caracteres # 58

Bom dia!  Último dia de outubro, e mais uma imagem especial sobre crianças , escolhida pela Silvana Segue a imagem e minha participação: Eu leio uma página e você a outra, tá?

Hoje estou no Vendedor de Ilusão!

... participando do 2º Prosas Poéticas, do J.R. Viviani!!! Confira no link: http://vendedordeilusao.blogspot.com.br/2014/10/prosas-poeticas-na-14-apresentacao-traz.html E se você ainda não está acompanhando o Prosas Poéticas, aproveite a visita lá e conheça os poemas e autores postados anteriormente! Até este final de semana, todos os dias um poema novo, um(a) autor(a) novo(a), um belo circuito poético orquestrado por um verdadeiro "vendedor de ilusões".

1 Imagem, 140 Caracteres # 57

Continuando nosso mês de BC com fotos de crianças , eis a imagem desta edição: A infância correndo leve e fascinante como a imensidão do mar.    Até a próxima, pessoal!

1 Imagem, 140 Caracteres # 56

Bom dia! A imagem escolhida para esta edição é inspiradora... (Nota: assim como a Silvana , não consegui inserir o "link -up" ao final da postagem, por isso peço que deixem o link nos comentários e assim que eu conseguir, insiro manualmente). Assim como a água, a infância deve ser preservada e valorizada! Um bom final de semana para tod@s e até a próxima!!!

Alvorecer

Todas as noites, tinha o mesmo pesadelo. Todas. Nos últimos cinco anos. Era adormecer e em pouco tempo as mesmas imagens horríveis se formavam e não havia como evitar o desfecho: acordar gritando às três horas da manhã. Dormir já estava virando uma tortura. Adiava o quanto podia a hora de recolher-se: escrevia, lia, criava distrações várias, porém mais cedo ou mais tarde o sono acabava vencendo. E o pesadelo chegava. Algumas coisas durante o sonho mudavam: pequenas nuances, cheiros, ordem de alguns fatos, porém o início e o final eram sempre os mesmos. Tudo iniciava com a visão de uma grande árvore e tudo escurecia de repente... E o final era algo ameaçador, uma espécie de cataclisma impossível de descrever, uma grande ameaça à qual reagia com o costumeiro grito. Estava tentando interferir no sonho, já que após tantos anos conhecia os fatos, e mesmo assim não conseguia fugir deles. O mais aterrador era saber que estava sonhando e não conseguir fazer nada, não conseguir aco

1 Imagem, 140 Caracteres # 55

(Esclarecimento:  Aconteceu um erro quando programei a postagem, e não apareceu na hora em que deveria..então, com um pedido de desculpas, agora sim a postagem ) . Oi! A Silvana sugeriu, na e dição passada da BC , utilizarmos imagens de crianças pelo resto do mês, já que está chegando o dia delas. Conversamos durante a semana e ela coletou imagens lindas, uma delas é esta a seguir: A curiosidade infantil proporciona momentos ternos e inesquecíveis!

Crônica pedestre

Vou a pé para casa, observo a paisagem. Todos os dias vejo esta mesma rua, mas hoje tenho tempo para contemplar com mais calma e absorver os detalhes com mais nitidez. Sexta-feira, a rua fervilha e eu na contramão do movimento. Caminhando às vezes devagar, às vezes mais depressa, no ritmo da música nos fones de ouvido, parando às vezes quando dá vontade. A flor branca, pequena espiando pela cerca de uma casa, o carro estacionado de forma estranha em frente a uma loja, veículos de todo tamanho passando,pessoas indo e vindo. Está um calorzinho gostoso agora, parece que o ar, as expressões de quem passa, até os cheiros, são diferentes quando a tarde está acabando. A calçada em frente àquela loja de roupas mostra o desgaste dos anos, com a cor da faixa sumindo. Árvores que até há pouco tempo atrás renovavam suas folhas agora mostram flores coloridas. Um conhecido cumprimenta com um aceno de mão, logo outro faz o mesmo. Crianças que já foram minhas alunas, indo para casa em suas

1 Imagem, 140 Caracteres # 54

Buenas! Chegando quase nos estertores da sexta-feira... (Vou contar, cheguei em casa tão cansada do trabalho que acabei dormindo e levantei agora, heheh... e aqui estou eu!) A imagem que a Silvana selecionou desta vez é muito instigante no meu ponto de vista. Fiquem com ela e minha interpretação: Já tive asas nos pés. Hoje, eles se acalmaram, mas ainda resta a saudade de voar. Uma boa noite a tod@s e até mais!

Ser ou ser

Olho-me no espelho, esquadrinho meu rosto Às vezes não me reconheço: - Esta ruga estava aqui ontem? - Este olhar cansado é mesmo meu? - Onde fui parar dentro do meu rosto? Espinhas, imperfeições, o rímel já borrando. Um rosto estranho na noite. Alguém que não sou eu me fitando em um vidro. Preciso lavar o rosto, lavar os olhos, purificar a mente Para ver de novo o semblante sereno e sorridente Que já conheço tão bem. Preciso esfregar com força Para me livrar das olheiras, do cansaço, do sarcasmo da poluição que engulo e que se infiltra todos os dias. A água corre, fico olhando-a descer no ralo, sinto-a na minha pele, como se todos meus poros a bebessem. Renovo o olhar. Agora em frente ao espelho, Sou novamente eu, Limpa, Sorridente, Fazendo caretas, Coloco uma máscara adequada E volto ao tédio da sala Onde reunidas estão outras pessoas, também perdendo seus rostos.