Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2020

1 Imagem, 140 Caracteres # 368

  B om dia, povo! Espero que vocês estejam bem e se cuidando, permanecendo firmes!  Aqui a gente vai sobrevivendo, lembrando que não estamos presos em casa e sim seguros nela.  S e esta é a primeira vez que você chegou aqui no blog, toda sexta-feira fazemos a Blogagem Coletiva 1 Imagem, 140 Caracteres, inspirada no Twitter antigo, criando uma frase, verso ou microconto baseado em uma imagem escolhida durante a semana.  Quem quiser participar, faz a postagem em seu blog, site, Medium, página de rede social favorita... copia o link e depois insere no "Inlinkz" ao final desta página. Se não tiver blog e quiser participar,pode postar aí embaixo na seção de comentários!  Vamos à imagem desta semana?  Imagem retirada do site Currans Flowers Descrição: a imagem mostra, sobre uma superfície de vidro, um vaso de vidro transparente repleto de flores: rosas de um rosa intenso, gérberas laranjas, lirios amarelos, hortênsias brancas e algumas folhas de samambaia. Ficou tão cativada pelo c

Pensamentos soltos sobre a pandemia escritos em modo revolts

 Aferição de temperatura para entrar em estabelecimentos é inútil. E medir pelo pulso mais inútil ainda.  Usar máscaras pode não evitar o contágio, mas barra boa parte das gotículas. E isso diminui a carga viral. Mas só vai dar certo se o nariz ficar dentro da máscara, caspita.  Parem com essa bobeira de perguntar " se bares podem abrir, por que escolas não podem?" Primeiro, que a permissão para bares abrir não foi uma permissão para aglomerar. Do mesmo jeito que liberação de qualquer outro estabelecimento não é permissão para aglomerar. Se adultos não entendem isso, imagine crianças pequenas. E nas escolas não há apenas crianças, há as pessoas que trabalham na direção, na higiene, alimentação, professores e professoras e todo o entorno. A sala de aula não é uma bolha.  "Ah, todo mundo morre um dia". Se você chegou até aqui e quer jogar essa frase como justificativa para fingir que nada acontece, ignorando todas as medidas de prevenção por não ser capaz de empatia n

1 Imagem, 140 Caracteres # 367

 Bom dia! Boa sexta-feira a todos!  Ultimamente parece que é segunda-feira, aí pisco e bum! Sexta-feira. Mais alguém com essa impressão? Enfim, enquanto estamos passando os dias nos cuidando, trabalhando e procurando viver bem apesar de tudo, o tempo passa e aqui estamos! Vamos à nossa imagem?    Imagem obtida no Pixabay Descrição: a imagem mostra, em um fundo escuro, a mão  e parte do punho coberto por uma manga cinza escura. A mão pertence a uma pessoa branca que está segura algo na palma: supõe-se que sejam  pedaços de carvão. O carvão está produzindo uma chama que se ergue um tanto alta. ...........................................  Negacionismo e ambição queimam, destroem a vida.  Ou dominamos novamente o fogo, ou pereceremos.    ........................................... Deus nos ajude a não deixar nossas matas morrerem de vez!   Até a próxima!      

Resenha: Minha Vida Não Tão Perfeita, de Sophie Kinsella

"Um dia minha vida ainda vai ser tudo o que eu posto no Instagram... Um dia ela vai ser"! (frase na contracapa do livro)   Livro: Minha Vida Não Tão Perfeita Autora: Sophie Kinsella Tradução: Carolina Caires Coelho Editora: Record - 9ª Edição     Descrição: a imagem mostra a capa do livro. No canto superior esquerdo, a imagem de uma moça branca, de cabelos lisos, com uma tiara fina azul nos cabelos, com uma franja um pouco bagunçada. Seus cabelos são castanhos, seus olhos escuros e expressão tristonha. Ela está usando uma regata amarela com três botões cinzas e braços caídos ao longo do corpo. A ilustração mostra apenas a parte superior do corpo, acima do peito. Acima da sua cabeça, uma nuvem cinza chovendo. Ao lado desta pequena ilustração, a frase escrita em azul celeste, entre aspas: "Chorei de tanto rir. Amei". A autora da frase é Jojo Moyes, escritora, cujo nome está escrito em letras maiúsculas em cor-de-rosa forte (pink). No canto superior direito, a logo da

1 Imagem, 140 Caracteres # 366

  Olá, tudo bem?  Espero que sim.. Vamos nos aproximando do final de mais uma semana e aqui estamos de novo para nossa blogagem coletiva semanal!    Vamos à nossa imagem?     Imagem obtida no Pixabay Descrição: a imagem mostra uma cena ao ar livre. Uma mesa pequena, redonda, feita de madeira na cor preta e com suas quatro pernas finas e cruzadas. Há duas cadeiras apoiadas nesta mesa pelo encosto, o que faz com que as pernas da frente das cadeiras fiquem no chão, mas as de trás no ar. As cadeiras são feitas de tábuas de madeira  na mesma cor da mesa, com pernas finas em formato curvado. O chão está tomado de folhas amarelas, laranjas e vermelhas, e algumas destas folhas estão sobre a pequena mesa também.          Aqui estamos nessa espera silenciosa pelo dia em que ao murmúrio da natureza se juntem as alegres vozes dos frequentadores do parque.     Um bom final de semana para vocês!       

Resenha: A Pequena Livraria dos Corações Solitários, de Annie Darling

  Livro: A Pequena Livraria dos Corações Solitários Autora: Annie Darling Tradução: Cecília Camargo Bartalotti 7ª Edição: Editora Versus, 2017  A imagem mostra a capa do livro "A Pequena Livraria dos Corações Solitários". O nome de Annie Darling aparece no alto da capa, em letras maiúsculas em cor laranja. Logo abaixo, o título do livro em cor-de rosa, alternando letras maiúsculas e minúsculas ( "a" e "dos" estão em letras minúsculas). Abaixo do título, mais para o canto esquerdo, vê-se uma construção em tons de rosa, a livraria. As vitrines são amplas e com grades, através das quais se pode divisar em um tom de azul-esverdeado uma silhueta feminina e outra masculina, dando a impressão de que irão se beijar. ao lado do casal há uma escada com livros em um dos degraus. Logo atrás da vitrine é possível ver mais livros, um deles aberto para exposição ao público. Também é possível notar cortinas nos cantos da vitrine por onde se vislumbra o casal e bandeirinha

Patria Amada, Brasil!

 Pátria Amada Combalida,  Vilipendiada Seus filhos, nós, ainda estamos aqui!  Fugiremos à luta? Desafiar a morte, muitos já estão fazendo..  Mas não por terem conquistado igualdade.  Ó Pátria amada, idolatrada, nos salve!  Um sonho  intenso muitos viveram Mas o amor e a esperança parecem não descer mais à nossa terra.  Teu céu outrora risonho, chora uma independência que custa a chegar Gigante pela própria natureza,  Deixas-te apequenar, amado Brasil! Cadê a mãe gentil dos filhos deste solo, que erguem os olhos Esperando o conforto do berço esplêndido? Onde está o som do mar e o azul profundo para trazer conforto? Por que o sol do novo mundo não ilumina mais este florão das Américas? Por que, nossas terras tão garridas estão assim maltratadas?  Por que tantos filhos teus estão tirando a vida de teu solo?  Cadê o amor?  Acorda, Brasil!  Queremos erguer com orgulho teu lábaro estrelado Queremos que o verde-louro não esteja apenas nesta flâmula Queremos paz no futuro, e não apenas a "

1 Imagem, 140 Caracteres # 365

 Bom dia para todo mundo!  Bom dia para você, que lê regularmente o blog e ultimamente só se depara com essa blogagem ( mentira, postei resenha ontem!)  Bom dia para você que estava na internet procurando algo aleatório como uma nova receita de pudim de quiabo, e por alguma razão sua busca te mandou para cá! E não, não tem receita de quiabo aqui.  Bom dia para você que veio aqui só para ver esta blogagem! E bom dia para você que leu em algum lugar que esta pessoa que vos fala tem um blog e deu um cliquezinho para ver o que tinha aqui dentro e agora está lendo!  Como vocês estão?  A imagem que escolhi para hoje é algo muito comum nos dias atuais, ainda mais agora com a pandemia. (Aliás, vendo a imagem também lembrei da greve dos Correios. Espero que os funcionários consigam garantir seus direitos! Não me importo de esperar mais se fizer alguma compra online, a dignidade destas pessoas precisa ser respeitada).   Vamos à nossa imagem da semana? Imagem obtida no Pixabay A imagem mostra doi

Resenha: Deixe as Estrelas Falarem, de Lady Sybylla

Q uem me acompanha sabe que a Sybylla  é autora de um dos meus blogs preferidos, o Momentum Saga . Além de ter proposto este desafio literário,ela também escreve, e muito! Ao final desta postagem, deixei um link para seu blog e sua página na Amazon! Pois bem, vamos à resenha! Livro: Deixe as Estrelas Falarem (Amaterasu, Livro 1) Editora :Dame Blanche Ano :2017 133 páginas    " N ão se pode afastar o marinheiro muito tempo do mar, nem eu de minha nave". Com esta frase a capitã Rosa Okonedo, do cargueiro independente Amaterasu, resume sua ansiedade em voltar à ativa, depois de um ano e três meses em Aspásia, planeta em que sua filha Maisa vive e trabalha.Depois deste período em que precisou ficar com sua filha nos momentos finais da gravidez dela e ajudando a cuidar da neta, Zoe, chegou a hora de voltar à sua amada nave. Ela ama sua filha mas sente que se não voltar à sua nave, acabará enlouquecendo, mesmo se sentindo culpada em se despedir.      A história começa com esta