Pesquisar este blog

24 de jun. de 2016

1 Imagem, 140 Caracteres # 144


Boa tarde! 

Uma bela sexta-feira fria  se apresenta aqui nas minhas bandas. E aí com vocês? 

Estamos aqui mais uma vez, eu no meu velho e querido banco, ops, programa errado trazendo a estrela das blogagens coletivas de sexta-feira, a imagem da semana! 

Vamos a ela?



Aprendamos com a sábia natureza a deixar o vento levar o que não mais for necessário! 


Bom final de semana! 





17 de jun. de 2016

1 Imagem, 140 Caracteres # 143

Boa tarde! 
Fuçando um pouquinho na net aqui, enquanto aproveito o horário do almoço, trago direto do blog Meus Devaneios Escritos a imagem da edição desta semana! 
Uma ótima escolha da Silvana e que nos leva a uma bela reflexão. 

Fiquem com a imagem, beijos e até mais tarde! 


Tudo é passageiro... as lágrimas podem dar lugar à alegria em pouco tempo, e vice-versa. Assim é a vida, imprevisível e fascinante.





10 de jun. de 2016

1 Imagem, 140 Caracteres # 142

Boa noite! 

Chegando do trabalho, visitei o blog da Silvana e vi que ela não conseguiu postar a imagem para a BC deste final de semana.Por isso tomei a liberdade  de fazê-lo. 

Não deixem de visitar o Meu Devaneios Escritos, há uma mensagem muito inspiradora na seção Momento de Reflexão!!! 

Vamos à imagem? 




Nada os separaria, nem mesmo a distância física. De uma forma ou outra, sempre estariam juntos! 

Até mais e bom final de semana! 




6 de jun. de 2016

Desafio Literário 2016 - Um livro que ganhou prêmio literário


Estamos aqui de novo, com mais uma postagem da série #DesafioMS2016, com um livro que ganhou prêmio literário. 
Devo dizer que foi páreo duro, pois conheço vários.. Mas escolhi, finalmente um:






A bolsa amarela, de Lygia Bojunga Nunes,ganhou o  Prêmio Hans Christian Andersen, em 1982.Um livro maravilhoso, no qual a autora costura habilmente fantasia e realidade ao retratar os conflitos da personagem Raquel, uma menina vivendo em uma realidade em que “criança não tem vez". A narrativa, por vezes, lembra Monteiro Lobato, que com as "Reinações de Narizinho" e os livros subsequentes também mistura fantasia e realidade tendo as crianças como protagonistas.
Raquel sente-se deixada de lado pela família, tendo sua privacidade invadida pelo simples fato de ser criança:

“E de repente todo mundo tava lá lutando pra abrir a minha bolsa. Minha. Minha. Minha! E eu ali sem poder fazer nada. Ah, se eu fosse gente grande! Quem é que ia abrir a minha bolsa assim à força se eu fosse gente grande? quem?”
Cada vez mais oprimida por vontades crescentes dentro dela, as quais não manifesta porque sabe que não será compreendida pela família, Raquel refugia-se em um mundo imaginário, vivendo aventuras com um galo, um alfinete e uma (isso mesmo, uma) guarda-chuva quebrada, todos cabendo na bolsa amarela onde Raquel escondeu, bem no fundo as suas três maiores vontades. 


O modo como Raquel vai amadurecendo no decorrer da narrativa com o apoio da bolsa amarela e dos personagens que nela moram é muito inspirador. 

Recomendadíssimo! 



Para saber mais...





Até a próxima! 

3 de jun. de 2016

1 Imagem, 140 Caracteres # 141

Bom dia! 

Inverno chegando, frio já deu o ar da graça por aqui, o que me fez pensar na imagem abaixo. 

Tudo bem com vocês? Vida que segue, apesar de tudo? Então vamos começar esta sexta-feira com nossa imagem, de uma vez?
Ah, não se esqueçam de conferir esta postagem também no blog da Silvana - Meus Devaneios Escritos - e nos demais blogs participantes! 



Imagem retirada do site Horta dos Sorrisos



Saudades! Toda vez que vejo um fogão de lenha, vem à minha mente um gostinho de infância...


Bom final de semana, pessoal! 





1 de jun. de 2016

Rotina?


Tem tanta coisa esperando para acontecer, mas parece que às vezes a rotina insiste em estender uma cortina cinza sobre nosso rosto, desbotando um cotidiano que deveria ser de agradecimento por todas as bênçãos que recebemos. Aí um dia, algo diferente, mesmo pequeno, nos tira do ciclo acorda-lava a cara-escova os dentes-sai para trabalhar-almoça-volta ao trabalho-chega em casa-reclama da vida-vai dormir para começar tudo de novo. Subitamente, a cortina cinza deixa o olhar livre e límpido, e vemos cores, sentimos sabores e tocamos tudo com mais intensidade, como se fosse a primeira vez. Tentamos prolongar esse sentimento,mas com a mesma rapidez com que descortinamos o olhar para o cotidiano, o véu cinzento parece voltar. Como se algo dissesse que só porque é rotina, não devemos ver cores. Mas devemos e podemos! 

Nossa vida é uma dádiva muito grande, não podemos reduzir nossa felicidade a uma eterna espera pela sexta-feira e a um domingo lamentando  a chegada da segunda. 

Rotina não é necessariamente uma coisa ruim, mostra que nossa vida está estável, que estamos vivos e atuando. 
E se estiver ruim, o que nos impede de reinventar? Enquanto estamos vivos, muita coisa pode acontecer, podemos ser e fazer muito! 
Há um mundo de possibilidades! Aproveitemos então o que temos como dádivas e façamo-nos uma dádiva para o mundo! 


1 Imagem, Caracteres #472

 Boa noite!!!  Tudo bem com vocês?  Que semana, minha gente. Começando com alagamento em várias regiões do estado, dias sem aula (mas trabal...