Pesquisar este blog

22 de set. de 2021

Sozinho na chuva

 Os passos

O olhar

O pensamento

Arrastados


Sem expressão

Sem expectativas

Sem certezas


Apenas sentindo 

Os pingos gelados

Escorrendo pelos cabelos, 

ombros,

braços cruzados no peito

Sem nada proteger


Roupas ensopadas

Sapatos encharcados

Mãos tremendo

E uma estrada que não termina! 

 

 



4 comentários:

  1. Linda tua poesia e quando estamos na chuva, seja literal ou figurativamente, a estrada parece não terminar... beijos, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  2. Bom dia de primavera, querida amiga Mari!
    Lindo trajeto poético!
    Estamos vivendo dias de chuva sem guarda-chuva... Sem expressão, sem expectativa, sem certezas...
    Tenha dias abençoados e perfumados!
    Beijinhos com carinho de gratidão

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde Mari,
    Gostei imenso do seu poema.
    Apesar da chuva, por vezes, ser desagradável é inspiradora!
    (Aqui só para nós, eu gosto de chuva;;))!
    Beijinhos,
    Ailime

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde, Mari!
    O pior de tudo é a falta de expectativas.
    Gostei do poema.
    Bjs
    Marli

    ResponderExcluir

Devaneie você também!

Pequeno aviso aos navegantes!

 Oi!!! A #1Imagem140Caracteres dessa semana vai sair hoje ou amanhã pela manhã. Prometo me esforçar mais para que saia sempre nos dias certo...